Você faz toda a diferenca!

terça-feira, 16 de março de 2010

Colar na prova

O Daniel meu filho chegou em casa esta semana com uns números anotados na mao.
Assim que vi nao disse nada, mas já imaginei. Ele teve prova de Geografia e com certeza os números anotados que vi foram os das populacoes das maiores cidades da Alemanha. Esperei a hora do almoco para lhe perguntar o que era aquilo. O que ele me respondeu super descontraído:
- Ah mamae, os meninos da classe quando eu cheguei estavam anotando os números das populacoes das cidades.
- Sei. Mas nós nao estudamos toda a matéria? E o que foi que nós combinamos sobre os números?
- Que eu usasse o símbolo de "aproximadamente", mas mamae, todo mundo fez.
- Daniel, nao me interessa todo mundo. Você estudou a matéria, sabia tudo. Agora, imagina junto com a mamae, o que teria aconteceido com a sua prova se o seu professor tivesse visto a sua mao? Imagina, junto com a mamae, a cena. E agora veja como seria triste prá você meu filho, se algo assim tivesse acontecido com um menino que estudou dias e dias para a prova, estava sabendo tudo e só porque algum garoto nao sabia e teve essa idéia de colar...
- Eu teria recebido na hora cartao vermelho, mamae.
- Entao meu filho, por nada você teria recebido uma nota vermelha. pois, você sabia a matéria e fora disso nós também conversamos que se você nao se lembrasse das populacoes nao seria problema algum, porque todo o restante você sabia. E com certeza você tiraria uma boa nota, independente disso...

Espero que ele tenha aprendido sem precisar receber o tal cartao vermelho do professor.
Porque colar é vício. Vício de quem nao estuda.
Fiquei pensando com os meus botoes o quanto nós também fazemos assim: Tomamos uma decisao por causa dos outros.

Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

32 comentários:

Chica disse...

É fogo e muito difícil colocar as nossas verdades, os bons princípios, deixá-los bem educadinhos e bem orientados.O que eles encontram no mundo é diferente do que nós falamos., Triste. beijos,tudo de bom,chica

Jakeline Magna disse...

Queridaaa vc deu uma otima lição a ele, e espero que ele compreendeu... e adorei muitooo suas observaçoes... parabens

Pedrita disse...

concordo amiga, e recuperar depois de um zero é complicado. um amigo uma vez recebeu um zero e em todas as provas precisava de muita nota. resultado, ficou de recuperação e perdeu parte das férias. e era como o seu filho, sabia a matéria. beijos, pedrita

João Menéres disse...

Foste de Aniversário, GEORGIA!
Só me apercebi tardiamente...
Desculpa, sim?
Fizéste muita falta nesta QUINTA!
Tive que me virar para tentar ajudar as meninas...

Dou também os parabéns pela forma como educas o Daniel.
Racional e inteligente.

Um beijo.

Poesia do Bem disse...

Sempre falo na aula, quem cola não sai da escola! e vejo sempre crianças ainda inseguras tentando colar, olhar o caderno,o do vizinho quando não estãoe m grupo, se estão eles não se sentem seguros em apostar o que sabem fazem igual, isso num 1° ano.ó educando e conscientizando que estudar e se esforçar é o melhor poderemos mudar essa "cola" Cabe tbm aos pais como vc o fez, conversar, dialogar e deixar claro que é preciso ter segurança. bjsssssss e vem ver as novidades!

Dalva disse...

É a pura verdade... principalmente quando crianças a gente vai na onda dos outros e passa por situações constrangedoras. Lembro de uma vez, no segundo grau (e olha que já era pré-adolescente!) tentei passar cola para um colega de classe na prova de Física. Nunca tinha feito isso, e foi tudo tão sem jeito... escrevi a cola na borracha e fiz com que ela literalmente voasse pela sala até a mesa dele e o professor viu!!! Chegou até a mesa do meu colega, pegou a borracha e esfregou ela na mesa (branca, de fórmica - e ficou aquela enorme mancha azul!) Imagina minha cara! Resultado: nós dois tivemos a prova tomada e ficamos com o pior conceito! Não foi fácil recuperar na prova seguinte, viu?

Bjs.

Gisley Scott disse...

Estás certa, é vício de quem não estuda.

Olha que presenciei isso na universidade.Esse vício vem junto.Daí quando vêem os seminários e apresentações, é o povo tudo com papel na mão e lendo. Ô pobreza!!! Tem gente que deixa "a vida me levar" faltando 2 semestres para monografia.Como é que esse povo se forma? Eu não sei!Boa pergunta :)!

Diego Borges disse...

que engraçado, meus colegas da facul fazem isso . Geralmente eles escrevem nos cartazes que são postos na frente do lado do quadro, ou escrevem nas carteiras ou se desesperam a decorar a torto e a direita o conteúdo de um mês em alguns minutos. Eu felizmente não tenho tal habito por que universitário que cola no futuro não vai ser um bom profissional e alem do mais eu tenho um orgulho de pedra pra me rebaixar a tal ato. Alguns colegas meus veem que eu não sei de nada e tetam me ajudar e acabam se chateando por que não aceito a ajuda. Se eu não fiz por merecer uma boa nota então que venha a ruim .Pelo menos acredito que isso seja o correto .
Voce fez bem amiga, esta ensinando princípios valiosos que ele vai levar pro resto da vida .
Um abração :)!!!!!

Mari Amorim disse...

Georgia,
em primeiro lugar parabéns pelo aniversário,me perdoe o atraso,Deus te dê muitas bençãos,saúde,para vc poder lidar com esse gatinho,lindo,
ri muito mesmo,pq já cololei muito kkkkkkkkkkkkk.Hoje estou na direção de uma escola com 2600 alunos,com idades diferentes entre 6/24 anos,e ate os pequenos tem criatividade nesta modalidade,mas não consigo nem dar bronca,pq atire a primeira pedra,quem nunca coloukkkkkkkkkk
Dê um beijinho nele,
Boas energias
Mari

Gisa disse...

Ai ai Geo, é fogo não é ? precisamos estar 100% ligados nas crianças. Mas é isso mesmo, aos poucos vão amadurecendo... bjs querida

Eduardo P.L disse...

Andam fazendo cópias de seus textos! Um horror! Cola nas escolas. Cola na internet!!!! srsr

Glorinha L de Lion disse...

Oi Georgia! A gente já se conhecia e nem sabia...eu sou seguidora do blog O que elas estão lendo...e inclusive fiz uma resenha do livro As Benevolentes...vc se lembra?
Não sei se foi com vc que falei por email na época...mas hoje descobri falando com a Beth que ela era seguidora tb! E que vc era amiga dela...quando vou nos comentários do blog, tinha um comentário seu!
Eita coincidência, ein?
Olha, quanto ao seu post, concordo inteiramente: a gente tem que ter personalidade desde cedo e não fazer só pq os outros fazem ou pensar de certo modo pq outros pensam...ótima lição de vida vc deu ao seu filhote!
Beijos.

Sonia H disse...

Como é difícil, não é, Geórgia,

Mas tenha certeza que ele está aprendendo.
Eu vejo pelo meu rapazinho que vai fazer 17 esse ano. Sabe, às vezes vem um flashback na minha mente... educar dá trabalho, sim. Mas posso dizer com muito orgulho que o resultado é maravilhoso. Sempre temos de estar atentos. Sempre! Com carinho, mas também com firmeza. Aqui em casa é assim.
Um beijo grande,

P.S. Você viu o bolinho e flores que coloquei no meu blog para você? Acho que não.. :-(

Mi disse...

acho que na epoca da escola, é dificil pra uma crianca se livrar das mas influencias dos coleguinhas. Vc quer "entrar" pro grupinho e acaba cedendo. O jeito é muita conversa pra nao virar rotina. bjs!

ps: engracado que vc desconfiou da mao rabiscada...me lembrou que qdo eu tinha provas de multipla-escolha, sempre anotava todos os resultados pra depois da aula conferir com os colegas ;) Ainda bem que minha mae nunca pensou que era cola! hehe

Bia Mendonça disse...

Oi Ge!

É "engraçado" ver como crianças são esponjas, aprendem tudo o que presta e até o que não presta... mas eu disse e digo sempre que acho linda e ótima a maneira com vc trata o Daniel e a Vivi, sempre guiando-os e mostrando o certo e o errado...

bjs

Cris Caetano disse...

Concordo bastante com a Bia, eles são ainda umas esponjinhas.
E acho que vicia sim, Ge... tive um colega na faculdade de Engenharia que só passava colando e se formou.
Achei perfeita a conversa que você teve com o Daniel.

Beijos

Tucha disse...

É por ai, refletir sobre a "cola" e sobre o aprendizado.

Vanessa disse...

Menina, criar filhos é um exercício diário . Os pais tem que ser como escoteiros, sempre alertas :-)

bjs

Mylla Galvão disse...

Pois é... Concordo com a Vanessa!
Mas e se depois de todo ensinamento, ele descobrir que a Mãe dele tb colava na escola???

Tem jeito prá isso tb?

bjs

sonia a. mascaro disse...

Georgia,
Você está certa e educando muito bem o Daniel. Ética é isso.
Achei bonita toda a confiança e a relação verdadeira que ele tem com você, contando francamente o que aconteceu na escola.
Beijos para os dois.

Ana Tapadas disse...

Ah linda (na foto também), como prof. só posso apoiar a lição dada ao filhote!
bjs

Tina disse...

Oi Geórgia!

Você está certíssima nos preceitos que transmite aos seus filhos - e na minha opinião é assim que tem que ser. Eu fiz e deu certo!

Parabéns atrasado pelo seu aniversário querida, desculpe a ausência, mas a correria com netinho novo está grande, sei que você entende.

E respondendo à sua pergunta: estou na Inglaterra - porisso a primavera... rs Vou te mandar e-mail com detalhes, combinado?

beijo grande e obrigada pelo carinho de sempre. Ah! adorei o novo look do Saia, super bom gosto.

Anny disse...

Geórgia:
Muito bem, é conversando e mostrando através de exemplos como se comportar. E fazer o que outra pessoa faz, pode ser falta de confiança no que se sabe e você demonstrou a seu filho que não era o caso.

Beijos.
Boa semana.
Anny.

Camille disse...

Assunto interessante para lidar com filho e tb para expor e colocar em discussao. Muito interessante mesmo a pressao social a qual a criança é submetida. É puro isso. Seu filho sabia tudo,mas queria participar do grupo maior, talvez sejam os coleguinhas mais animados, aquelas coisas. Começar desde ja a faze-lo entender que nao é por que os outros fazem que se tem que fazer é uma grande lição para a vida toda. E vai orienta-lo para muitas ações importantes que ainda vao surgir nas situações da vida.
Beijos querida, parabens.
Cam

Anunciação disse...

Menino abençoado com uma mãe atenta.Sabe,mesmo sendo correto,sabendo e tendo uma educação nota dez,a gente acha q não faz mal fazer parte da turma.Beijo nele e em vc.

Allan Robert P. J. disse...

Fazê-lo chega à conclusão do que teria acontecido se fosse pego é uma forma de aumentar o senso de responsabilidade dele. Tenho certeza de que ele pensará primeiro antes de repetir a dose. "Colar é vício de quem não estuda". :)

Sandra disse...

Parabéns amiga.
é assim mesmo, que conscientizamos nossos pequeninos.
Infelizmente, ainda eles sem querer, se deixam levar pelos os amigos.
Mas tenho a certeza que o Dani aprendeu. além de nunca mais esquecer o número populacional..
Colar nunca resolveu..Estudar sim..Fixamos a matéria.
Um grande abraço,Amiga
Sandra

Deusa disse...

Querida Georgia
Digamos que foi um pequeno "lembrete" ...rssrsr
Eu particularmente colei muito, não nego !!
tenho várias histórias de cola
mas não pode falar isso né ?
Um abraço carinhoso querida !!

Deusa disse...

Xiiiiiiii agora que estou lendo
hahahah
Ninguem colou na escola
rindo muito
beijo querida !!

Bergilde Croce disse...

Aprendendo sempre aqui com suas experiências como mãe e boa educadora.Lembrei de quando adolescente ter ouvido de minha mãe sobre as 'pescas'(o modo cearense de dizer burlar,colar) algo do tipo- "quem vai pela cabeça dos outros é piolho".*Seu filho está no bom caminho sendo seguido em casa com Amor e bons princípios.Abraços,Bergilde.

Lunna disse...

Infelizmente temos esse estranho hábito, não é mesmo? Deixar se levar pelos outros. Acho que fiz algo assim uma vez na vida e me senti uma idiota completa. Mudei de roupa apenas porque ouvi alguém comentando que meu gosto com roupas era duvidoso. Quase joguei toda minha roupa fora. rs
Enfim, quanto a colar, não sei, acho que se as escolas aproximassem a realidade das salas de aula teríamos menos esse tipo de coisa porque cá entre nós (que seu filho não me leia) mas que diferença faz na vida dele saber os números populacionais? hahahahahaha
Enfim, colar não é correto, a gente sabe disso. Lembro de ver muitos colegas fazendo uso disso e nem é porque não tinha estudando e sim pelo desafio de não serem pegos. Coisas de estudantes.
Bacio carissima

Georgia disse...

Lunna, por isso eu disse a ele que nao tinha importância saber as populacoes.
Colar todo mundo ou uma grande maioria já fez ao menos uma vez na vida. O caso foi que ele sabia a matéria, o que nao gostei na atitude dele foi a de nao ter tipo a sua própria personalidade, mas é assim mesmo, nós tb passamos por isso e aprendemos fazendo.

Um bjao