Você faz toda a diferenca!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Como viver em outro país?

Clique na imagem para ampliar

Parte 1 - Aprendendo outro idioma

Viver em outro país nao é fácil. Trocar tudo que a gente conhece pelo desconhecido... se nao for por Amor, você nao sobrevive...
Vou comecar uma série por aqui em contar as minhas dificuldades na Alemanha, porque muita gente pensa que morar no estrangeiro é um mar de rosas. E outros pensam que nao podem viver longe do Brasil...
Vou comecar falando da minha dificuldade em aprender a língua alema.
Conheci o Christian na escola onde lecionava. Ele já falava o português, pois tinha feito o estágio dele no Rio de Janeiro num período de quase um ano.
Na época, me matriculei num curso de alemao em Botafogo, queria ao menos chegar aqui falando alguma coisa. Triste ilusao. Nao consegui pronunciar uma só palavra e tudo o que consegui fazer comigo mesma foi me assustar com a língua.
Quando estava vindo à Alemanha pela 3° vez e resolvemos que o nosso namoro nao podia ficar vivendo de ponte aérea, combinamos que eu viria para cá, para ter mais contato com a língua, e assim falar, outro puro engano.

Christian morava por causa do trabalho, numa cidadezinha chamada Villingen que tinha apenas 2 ruas. Vivendo dentro da famosa Floresta Negra, as pessoas ali falando somente em dialeto, nao respondiam o meu bom dia. Pois, esta era a única frase completa que eu conseguia falar.

No sul da Alemanha há muitos preconceitos com o estrangeiro e nao foi diferente comigo. Como o dialeto era horrível e eu estava apavorada com tantas mudancas na minha vida, resolvemos que o Christian iria falar comigo somente português. Que também nao era lá essas coisas, mas era muito melhor que o meu nada de alemao.
Corremos para pedir um visto mais prolongado, pois eu nao queria me casar logo. Eu precisava de um tempo para pensar, me adaptar e conehcer o meus sentimentos por ele...
Fui fazer um curso de alemao que a pequena cidade junta a tantas outras pequenas cidades oferecia. Mas eu era burra demais, gente. Nao conseguia falar, estava empacada. Nao sei se eu descansei porque o Christian entendia o português e foi ai que ficou mesmo muito mais difícil.

Eu vivia colando os papéizinhos por tudo que é canto da casa. Paredes e armários levaram etiquetas as quais eu só removia quando sabia pronunciá-las. Todas as palavras com artigos. Pois, o alemao tem 3 artigos diferentes: um masculino, um feminino e um neutro e dai a língua faz todas as declinacoes infernais, ahahaha!
Se você abrisse a gaveta dos talheres iria encontrar várias etiquetas escrita assim: das Besteck, die Gabel, das Messer, der Esslöffel.
Eu comecei a me fechar, a me fazer de vítima, a pensar em vir embora porque eu nao queria aprender o alemao...

Continua depois...


Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor

3 comentários:

Claudia Storvik disse...

Ola Georgia. Li um comentario que voce deixou em fevereiro no blog Amarelinha sobre uma mae que nao ensinava portugues para o filho e achei seus conselhos otimos. De uma olhada no meu blog, www.filhos-bilingues.blogspot.com, acho que voce vai gostar. Claudia

Angela disse...

A lingua nao é fácil, mas nao impossível de se aprender. Quando saímos do Brasil para morar definitivamente aqui, eu e nem as crianças falávamos alemao. Meu marido aprendeu quando era adolescente, pois a família dele eram todos descendentes de alemaes e falavam entre eles.Quando cheguei aqui foi um caos. As crianças se desesperaram na escola. Eu entao...Hoje, depois de muito estudo falamos muito bem a língua. Meus filhos falam fluentemente por causa da escola e faculdade. Mas, sempre estudo, praticamente todos os dias. Quanto ao preconceito que vc disse que sofreu,é só com mulheres brasileiras. Conheci várias brasileiras que casaram com alemaes e me disseram isso.Mas, nao ligue para isso. Beijos.

FELIPE R P disse...

Muito legal o seu Blogger.
Obrigado por dividir suas experiências conosco. Principalmente sua história sobre como viver em outro pais.