Você faz toda a diferenca!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Meu filho cagou o banheiro da escola e agora?

Eu ensinei ao Daniel quando ele usar qualquer banheiro fora de casa que ele nao deveria se sentar. Que banheiros fora de casa sao sujos. Em conseqüência disso ele nao se senta nem no banheiro de casa para fazer cocô.
Há poucas semanas o Daniel foi no banheiro da escola e cagou a parte detrás da tampa do vaso. Aquela com o buraco no meio onde nos sentamos. Tentou limpar e sujou mais ainda com a vassoura.  Ele voltou para a sala e contou para o melhor amigo o que aconteceu e os dois comecaram a rir.
O amigo quis ver e ao ver chamou um outro amigo da mesma sala.

Agora eram 3 a rir da merda toda em volta do vaso. Daniel precisou ir ao banheiro novamente já que ele nao estava lá ok com a barriga. Foi ao banheiro do lado e enquanto isso os 2 amigos tiveram a infeliz idéia de mijar tudo em volta, de pegar o papel higiênico e jogar no vaso. Daniel quando saiu do outro banheiro perguntou o que eles estavam fazendo e ao ver, claro ele riu da merda toda e os 3 sairam achando que eram os mais espertos do planeta. Só que do lado de fora outros meninos entraram para usar o banheiro e quando eles viram o estado do banheiro foram logo para a diretoria e descobertos, eles foram retirados da sala de aula.
Separadamente os 3 escreveram a história como tinha se passado. O diretor depois de ler o texto ligou para cada responsável em casa e nos informou que os nossos filhos estariam suspensos da escola por 3 dias até que alguns membros da diretoria discutissem o assunto. Daniel chegou em casa aos prantos dizendo que nao tinha culpa.
Claro que eu fui durona com ele. Claro que no comeco eu disse a ele que eu nao acreditava que ele também nao mijou na parede e nao picou o papel higiênico. E isso tudo poucos dias antes do natal...

Ao retornarem às aulas eles deveriam primeiro se apresentar à diretoria. Os pais tiveram que acompanhá-los e nós tivemos uma hora marcada com o diretor e o vice e Daniel teve que contar toda a verdade na nossa frente e esclarecer alguns pontos. Mas Daniel nao quis fazê-lo. Ele disse que estava na merda junto com os amigos, pois eram seus amigos. O caso é: a escola tem umas regras que tanto o aluno como os pais devem ler e assinar no ato da matricula e um ato desse tipo pode ser considerado vandalismo e neste caso todos os 3 seriam convidados a sair da escola.
Quando os outros 2 amigos entraram separadamente, eles contaram a história como foi.
Hoje foi a reuniao de todos os professores, com o pai representante da classe e da escola. Com o representante de todas as escolas da nossa cidade. Os meninos convidaram um professor para servir de advogado de defesa deles. E ao todo a bancada foi composta por 12 pessoas, homens e mulheres em idades diferentes.
Eu, instrui o Daniel a comecar com um pedido de desculpas diante de toda a platéia docente.
Depois que cada um novamente se apresentou isso pela 3° vez em menos de um mês, o corpo docente se reuniu por mais de uma hora enquanto esperávamos do lado de fora.

Resumo da ópera: os meninos receberam da escola uma segunda chance, mas se eles estiverem envolvidos em qualquer situacao difícil os 2 amigos do Daniel serao imediatamente expulsos.
O Daniel, receberá primeiro mais uma advertência porque o ato dele para os professores nao foi algo proposital. Ele nao pensou nas conseqüências ao falar com o amigo o que ele fez no banheiro. Mas os outros 2 por terem decidido mijar tudo em volta e jogar papel isso eles consideraram caso pensado e por isso se eles forem pegos mais uma vez em qualquer situacao difícil será caso de expulsao no ato.

Fora disso, todas as sextas-feiras os 3 juntos terao que ajudar a arrumar e  limpar os cestos de toda a escola, varrer o pátio, seja lá o que for que o limpador da escola designar. Sendo assim eles chegarao em casa tarde neste dia.
A diretoria decidiu que toda a escola deverá saber deste caso para que sirva de exemplo de que  um ato assim nao fica impune. Porque na verdade, todos os alunos da escola estao sabendo. Por isso é importante eles tomarem conhecimento do veredicto.

Caso os pais presentes nao concordem  com esta multa escolar eles poderiam agora ou até o final da semana requerer a transferência dos filhos para uma outra escola. Ninguém quis.
Agradecemos a diretoria por ter agido com cautela e sabiamente e nos ajudando na educacao dos nossos filhos.

Fiquei pensando em alguns casos escolares que o Brasil já teve e que virou escandalo nos jornais onde  os pais nao apoiaram a atitude da escola.

Daniel e os amigos aprenderam muito estas semanas de espera. Eles estavam passados. Daniel viu que o que nós sempre dissemos a ele que mesmo ele nao fazendo, ele estava lá e que isso na hora fica difícil de resolver...ele teve muita sorte também que os 2 amigos escreveram claramente que o Daniel nao mijou as paredes, que ele estava usando o banheiro ao lado... mas se ele nao tivesse falado com o amigo talvez eles nao estariam dentro desta merda toda.

Eu agradeci a Deus por esta experiência. Georgia você ficou louca? Agradecer a Deus por isso? Sim.
Assim meu filho aprendeu que para cada ato tem mesmo uma conseqüência, às vezes fraca mas que muitas das vezes poderia ser muito pior o enredo final.

27 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, que confusão por uma cagadinha fora,rssr,certa a escola....Mas eles pensarão mais antes de fazer...

Atos assim agora servem de exemplo.

beijos praianos,chica

Pedrita disse...

eu só não concordo com a possibilidade de expulsão. não acho que essa solução ajude a criar um cidadão. em todas as outras eu concordo. eu acho q a melhor punição é algo relacionado ao q fizeram. sujaram, vão limpar e eu acho q devem limpar principalmente banheiros, limpar por um tempo para aprender mesmo a lição. claro, com todo o aparato de segurança, luvas, botas de borracha etc. acho que essa punição é a mais eficaz q uma expulsão. e tb gostei da forma como a escola agiu. mesmo não concordando com a regra da expulsão é uma regra e quem estuda lá sabe da regra. acho q o importante é ser coerente com as regras. tb não acho q os outros dois fizeram por maldade e sim por "brincadeira". q devem sim sofrer punição, mas novamente não acredito na expulsão e sim em castigo. limpar a sujeira dos outros por um bom tempo é uma lição e tanto.

Bia disse...

Ge, acho muito importante a escola tomar atitudes como essa, principalmente para mostrar que cada ato tem sua conseqüência. E infelizmente o Brasil tá cada dia pior, pq de geração para geração o respeito não é passado, não é ensinado... e a maioria acha que tem mais direitos do que realmente tem. As crianças não estão mais respeitando os professores ou outras figuras de autoridade fora de casa, e só posso pensar que essa "falta de educação" vem da falta que os pais não dão...
Com certeza essa situação serviu para formar mais um pouquinho o caráter do Daniel para melhor.

bjs

Pêtra disse...

Oi Ge!!
Eu concordo com a escola e com vocês como pais! Acho que eles aprenderam uma boa lição e servirão mesmo de exemplo para outras crianças não aprontarem coisas piores!
Aqui no Brasil quem se dá mal em histórias como essa, são as pessoas que limpam o banheiro e só! Cada dia os alunos desrespeitam mais os professores e até mesmo seus colegas!
Podemos ver que educação na Alemanha ainda é coisa séria!!
Obrigada por compartilhar!
Beijinhos!!

Camila Lins disse...

O que mais vi na minha adolescência foi banheiro sujo e ning fazia nada.

É mega nojento usar banheiro público. Odeio.


Gostei da posição da escola. Foram firmes e acho que os meninos pensarão mais antes de fazerem outra besteira.

Gostei também da posição do seu filho de não abandonar os amigos. Achei bonito.

Espero que agora tudo fique mais tranquilo.

Bjss

Cris disse...

Achei muito boa a posição da escola, punir em algumas vezes é tb educar...Beijos Geórgia

elvira carvalho disse...

Foi bom que a escola tivesse esse tipo de punição em vez da expulsão.
Eles aprenderão a lição sem o trauma de terem que ir para outra escola.
Um abraço

João Menéres disse...

Muito bonito o Daniel estar com os companheiros e não tentar saltar fora !
Isso, a ti te deve, Georgia !
Admirei a atitude firme da escola e a forma como decidiram.
Tudo positivo !
Assim se formam HOMENS !

Os homens em Portugal não sabem mais o que
é Justiça !
Os juízes têm medo de aplicar o Código Penal.
Os juízes julgam mal. Parece que aplicam penas a pessoas que não julgaram.
Os crimes de colarinho branco arrastam-se há anos e vão arrastar-se até Deus voltar à Terra.

Um beijo.

Elvira disse...

Oi Georgia.
Gostei da forma como a escola e vocês, como pais conduziram tudo.
Só acho que a expulsão seria um ato um pouco exagerado. Uma ótima punição seria fazer com que eles limpassem os banheiros por muito tempo.
Se Brasil fosse assim não haveria tanto desrespeito. Aqui as escolas são destruídas, os professores desrespeitados e humiliados e nada acontece.
Tenho certeza de que o Daniel aprendeu a lição.

Bjs.
Elvira

Lúcia Soares disse...

Tudo certo. Só não acho necessário que toda a escola saiba. O problema é das crianças que fizeram o errado e suas famílias. Muitas vezes essa situação de todos saberem pode gerar um constrangimento nos envolvidos, marcando-os para sempre. Por si só esse acontecimento se espalharia, mas não para toda uma comunidade escolar.
De resto, é bom saber sempre que tudo que fazemos reverte em bem ou mal para a gente mesmo.
Beijo!

Georgia Aegerter disse...

Oi Lucia, eu nao sei bem ainda com certeza se eles vao falar com os outros alunos sobre o caso.
O caso é que muitos ficaram sabendo. Uma das maes me avisou ontem que nao. Vou esperar para saber o que vai acontecer daqui para a frente.

Bjos

Bergilde disse...

Sabe que também sou a favor dessa comunicação escola-família e mesmo o ato em si não tendo sido,ao meu ver,como educadora grave é necessário chamar a atenção dos alunos e também dos pais sobre o que acontece no interior da escola.É lá que nossos filhos passam a maior parte do dia deles e lá também se formam os futuros cidadãos.*Aqui ano passado o Francesco recebeu uma notinha no caderno por ter dito uma palavrinha feia.Conversamos,no encontro com as professoras até me desculpei,mas daquele dia em diante nunca mais se repetiu.*Se o professor deixa passar uma vez,virá a segunda, a terceira enfim,temos muito ouvído e visto as consequências do bullismo se difundindo pelas escolas do mundo...Se deve evitar já de pequenos atos aparentemente insignificantes.Tenho certeza de que a lição serviu para os rapazes.
Abraços,bom dia!!!

Celia disse...

Com certeza, eles aprenderam a licao e pensarao 2 vezes antes de fazer outra coisa. Bj

Tucha disse...

Adolescentes são mesmo assim, influenciaveis pelo grupo. Mas os limites têm que ser tracados pela família e pela escola. E no caso parece que houve um bom entendimento e a lição foi aprendida.

Li Ferreira Nhan disse...

Nossa! Que cagada!

Jamais eu duvidaria que o Daniel participaria da mijada coletiva, nunca!
Primeiro pq ele é seu filho
e segundo pq com a caganeira que ele estava não daria mesmo pra mijar a vontade; não há xixi suficiente; o corpo poupa todo líquido que puder, senão desidrata.
Certamente o Daniel não esquecerá dessa caganeira. Tomara que o fato não o reprima nas possíveis futuras diarréias em outros banheiros que não forem os wc de casa. Sei bem como é ter um intestino temperamental.
Quanto a disciplina escolar, eu conheço; fui educada num colégio de freiras alemãs (na época, da Alemanha oriental). Portanto não vou entrar no mérito. O assunto é longo, vasto, polêmico e vai muito além de crianças, adolescentes, professores, juízes, diretores; reflete, por exemplo (só um exemplo), na política da sra Merkel...

Um beijo Georgia
e outro beijo muito especial para alguém muito especial, teu filho Daniel.

Li Ferreira Nhan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Li Ferreira Nhan disse...

Exclui o comentário pq foi duplicado.

Bel disse...

Amiga, você é uma mãe sábia. Mas à parte essa coisa da educação e do aprendizado, eu tenho muito MEDO da Alemanha! Sério mesmo! ;)
Beijo!

Milena F. disse...

Gostei muito da atitude da escola desde o inicio, da atitude dos pais, que aceitaram e aprovaram a decisão da escola. Certamente os meninos aprenderam a lição!

Cris Caetano disse...

Na minha época de colégio para sair da sala para ir ao banheiro tinha de levantar o dedo e pedir permissão. Um diretor aparecia e todo mundo levantava, e existia a expulsão em alguns casos de reincidência de peraltices. Ninguém cresceu traumatizado, meus primos estudaram no mesmo colégio que eu e somos todos saudáveis. :)

Que bom que por aí ainda se aprende que um ato gera uma consequência e devemos ser responsáveis pelo que fazemos. Aqui tudo mudou, professor apanha de aluno e os pais ajudam a bater.

Beijos, Ge

Maman B... et ses petites crapules disse...

Ge;
Também ensino meus filhos a nao sentar em toiletes publicos ou forrar o vaso com papel higienico. Mas se por acaso nao tiver, passar alcool gel depois de utiliza-lo. Levando pra brincadeira isso que é jogar a merda no ventilador!!!rsrs, bjs.

dilamar santos disse...

Perfeito. A escola tratou do assunto com toda a responsabilidade e importancia que merece.Pode parecer pouco, mas não é.

rose disse...

Georgia, eu tambem tenho nojo de banheiro publico, mas nem no banheiro de casa ele senta pra fazer coco?!?
No japao os alunos que fazem a limpeza diaria das salas de aulas e banheiros. Claro que nem sempre ficam tao limpos, mas pelo menos isso faz com que eles saibam o quanto da trabalho se fizerem mau uso.
Quanto a escola do Daniel, particularmente acho melhor que a escola faca um comunicado oficial do que outras classes/series/pais ficarem sabendo atravez de fofocas distorcidas.
Uma experiencia e tanto hein! bjOs

Marcia Caetano disse...

Nossa Georgia, achei realmente exagerado. Porque uma comissão com 12 adultos quando se tratava de 3adolescentes. Eles não são adultos para serem levados a um "tribunal" (li há dois anos que a Alemanha estava discutindo diminuir a idade para ser preso para 16 anos, não sei se isso passou). Acho que eles deveriam ser punidos, sim, mas acho que o veredicto deveria ter sido feito entre os pais, a diretoria e, talvez um representante do conselho de pais. E sobre o perfil dos alunos? Eles são alunos que têm um dossiê na escola, com certeza (se tiram notas boas, se sempre se comportaram etc). Isso não foi levado em conta? Há alguns anos, um casal de adolescentes transou no colégio Santo Inácio, tradicional escola do Rio de Janeiro. O menino postou fotos que tirou no celular e todo mundo ficou sabendo. Os dois foram expulsos, foi um escândalo na época. O menino saiu como herói, a menina, no último dia de aula dela, saiu em meio a um "corredor polonês" com os alunos xingando de piranha para baixo. Você não acha que isso marca muito a pessoa? Eles fizeram algo errado sim, mas acho errado a escola tratar adolescentes como adultos. E se eles, que nunca fizeram nada errado, botarem na cabeça agora que eles são "rebeldes sem causa" e, ao invês de se regenerarem, ficarem com ódio do sistema? É preciso muito cuidado dos pais e da escola para não haver estigmatização.

Marianna disse...

Querida Georgia,

Uma situacao delicada e embaracosa :-(
Para mim ficou que:
A escola tem mesmo como papel orientar, educar tmb (Ja que a base vem de casa e o ambiente escolar e tmb uma extensao da mesma).
Porem, achei um pouco exagerado, tantos profissionais envolvidos, por 1 hora, para conduzir a melhor forma de ensina-los uma licao dificil, mas necessaria. Achei coerente a decisao de tarefas a serem praticadas pelos meninos, mas achei que pensar em exclui-los da escola nao os ensinara nada alem de que tudo aquilo de bacana que eles tem feito ate o momento, perdeu o valor, por uma atitude inconsequente. Seii que nao justifica, mas adolescentes, em alguns momentos gostam de testar limites e ate ultrapassa-los. Cabe a nos adultos, familia, escola e comunidade mostrar que deixar ainda melhor tudo aquilo que nos rodeia fara muito bem a todos, mas em especial a nos mesmos :-)

Sua familia e vc, adotaram a mesma postura que minha familia e eu teriamos no lugar de vcs...Benjamin tem 2 anos e 7 meses e desde sempre o ensinamos a respeitar o espaco do outro. Nao e facil, nem existe um manual de instrucoes para isso, mas, sabemos que a formacao de um carater de um filho depende do qto e como o amamos e amar tmb e dizer nao e acima de tudo o por que desse nao...

Beijo mulher guerreira!
Marianna do Allgau

Vanessa Anacleto disse...

Georgia, ando numa fase de reorganização total da minha vida, colocando em ordem tudo o que estava fora de lugar. Uma das coisas mais bagunçadas, era meu google reader. Hoje, reorganizando os blogs , fiz uma faxina total e estou lendo posts antigos. Achei este seu post admirável. A escola está de parabéns por tomar atitude justa e pedagógica com todos os meninos e os pais estão de parabéns por reconhecerem que a punição tem carater mais educativo que punitivo. Infelizmente a sociedade brasileira vive uma crise de valores e realmente acredito que aqui o mais comum seria rechaçar a atitude da escola , muito embora eu pessoalmente tenho certeza que apoiaria, é o que eu espero de uma escola.

abraço, agora que meu reader tá em ordem, devo aparecer mais vezes.

Dribook disse...

Um ato que parece banal mas foi tratado com tamanha seriedade para auxiliar na educação dos pais e convívio em sociedade!
Lembro que sempre estudei em escola pública e vivia "apertada" esperando a hora de ir embora pra casa pois tinha nojo dos banheiros....um dia nossas crianças aprenderão também que não se faz "cagada fora do vaso".
Adorei o post!