Você faz toda a diferenca!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

No túnel do tempo



Li na Chica esta semana um post que muito me chamou atencao.
Em seu texto ela fez a comparacao da festa e alegria que se faz a um bebê e o desprezo e a falta de atencao ao idoso. Um texto sensível e se você quer lê-lo, clique AQUI.

A Alemanha tem uma estrutura que nao é perfeita, mas olha, é prá lá de boa.
Vamos falar do que é envelhecer num país como  o Brasil, que em quase tudo nao há uma estrutura. Gente eu morro de dó quando eu vejo um idoso no Brasil. Mesmo o idoso que tem direito a entrar pela frente, a nao ficar na fila dos bancos e isso e aquilo...que diga-se de passagem aqui nao tem nada disso. O idoso fica na fila como qualquer outra pessoa. Sim, nem tudo é perfeito por aqui...

Me lembro de algumas vizinhas idosas quando eu era crianca e elas viviam nos quartos, sozinhas. Ninguém  lhes dava atencao. Me lembro que quando visitei uma tia minha em Pernambuco, lá morava uma senhora com ela, a mae da sogra, e ela passava os dias no quartinho que dava para a cozinha e assim ela conseguia ver o movimento da casa. Me lembro que sentei na soleira da porta do quarto e comecei a conversar com aquela vovozinha, simplesmente pela curiosidade de saber o que era envelhecer. Eu nunca tinha visto ninguém até entao com uma pele tao enrrugada.
Me lembro que passei meus dedos em suas maos, em seu rosto e ela me perguntou se eu nao queria pentear-lhes os cabelos. Eu achei aquilo o máximo, embora nao tinha nocao do bem que estava fazendo àquela senhora de cabelos brancos e finos.
Quando fomos embora ela me disse: que pena que eu nao tenho nenhuma jóia para te dar. Dei todas para pessoas que nunca conversam comigo. Eu lhe respondi: Mas nao conversei com a senhora por causa de alguma coisa e sim porque vi que ninguém conversou com a senhora. A cara da minha tia ficou vermelha e as minhas primas ficaram de olhar pra baixo. Eu tinha entao 13 anos.

E hoje? E hoje como é envelhecer numa geracao onde os pais nao estao preparando os filhos para cuidar deles? Uma geracao que  tudo quer, mas que dao muito pouco de si e  que pensam que os pais devem lhes dar de um tudo?
E esses idosos que esperam que o seu País lhes dê uma seguranca na velhice e isso nao vai acontecer num país como o Brasil, com tantos problemas internos como se tem.
Nao sei. Envelhecer num Pais assim me dá medo, é triste, é solitário, é estar completamente abandonado. Veja o que Deus diz em sua Palavra sobre o anciao: " "Levantem-se na presença dos idosos, honrem os anciãos, temam o seu Deus. Eu sou o Senhor" Levítico 19:32

Onde nao há conscientizacao, nao há amadurecimento. Onde nao há temor a Deus, nao há amor.

Abracos

18 comentários:

✿ chica disse...

Obrigadão pelo carinho em citar meu texto aqui! Tuas palavras são fortes e bem colocadas. Fiquei imaginando essa velhinha que tu penteaste os cabelos.

Li até para o Neno e Kiko e a parte que ela não tinha mais jóias para dar em troca nos emocionou. Triste...

Lembrei que hoje pela manhã fomos visitar minha mãe na clinica.
E ela queria porque queria que eu trouxesse um trenzinho que tem lá de enfeite, e é da Alemanha, como tuuuuuuuuuuudo que ela tem e adora. Claro que não quis, mas se fosse outra, pegava e pronto!

Pena que por aqui a situação é essa! beijos,tudo de bom,choica

João Menéres disse...

Ainda não li o texto da CHICA
( vou ler de seguida ), mas este teu é tão lindo, Georgia !...
Passou diante dos meus olhos como se tratasse de uma película, tão bem descreves esse momento !

Um beijo deste amigo.

Anônimo disse...

É realmente triste e algo que muito me toca, todavia, não concordo que na Europa seja tão mais fácil envelhecer e que não sejam tão sozinhos, sem uma companhia de vez em quando pelo menos para conversar como no Brasil, pois o que tenho visto por aqui de idosos vivendo sozinhos, sem receber nem uma mera visitinha dos parentes, não está no gibi...

Beth/Lilás disse...

Georgia,
Eu também fico triste quando penso no futuro e como será o tratamento que receberemos. Do nosso país não podemos esperar nada mais, é um país injusto em todos os sentidos, quanto mais com os velhos.
Os filhos das novas gerações, realmente não parecem preocupados com os idosos e não sei se terão conosco atitudes compreensivas e atentas. Só sei que eu faço a minha parte, dou o exemplo cuidando com carinho de minha mãe idosa, para que meu filho veja e lembre disso um dia e faça comigo e com o pai a mesma coisa, porém não pretendo imputar sacrifícios a ele e sua família futura, por isso eu e marido, pensamos em guardar para o nosso futuro a fim de não precisar depender da família.
Vou lá na Chica ler o texto.
beijos cariocas e ótimo outono!


Malú Holzmüller disse...

Guten morgen Geórgia.
Que texto emocionante.Sabe amiga também por vezes paro e fico pensando nos idosos nao só em nosso país mais no geral,naqueles que tanto fizeram pelos filhos e terminam seus dias em asilos po muitas vezes abandonados pela familia.Gracas a Deus meus pais já estao a curtir a terceira idade mai o que nao falta a eles é atencao nossa os filhos.Temos muito que orarmos por essas pessoas e por nós que se tivermos a felicidade de chegarmos a sermos idosos possamos usufruírmos do amor e atencao de nossos filhos.Amei o post.

Bjs.
Malú

Georgia Aegerter disse...

Bom dia!!!

Anônima, sei que muitos alemaes tb deixam seus pais jogados e que nao ligam, sim, há esse tipo por aqui também. Há em todos os lugares.
Mas também te digo que eles (ainda) nao sao a maioria. O que vejo por aqui ainda é muito respeito ao pai e mae idosos.
Ninguém trata o idoso por aqui de" Ô minha tia, a senhora tá caducando...", ou " ai, a senhora tá surda..." e rir sobre isso, nem preciso dizer mais nada, nao é?

Um abraco e nao precisa assinar anônima, eu sei quem vc é. O PC por aqui registra bem os "IDs".

Ciane disse...

Bom dia!
A querida Chica realmente, toca fundo com suas palavras. Mas tens toda razão, aqui não é perfeito, mas a estrutura é outra. Quando conto a minha sogra, que recente ficou viúva, ela diz que não imagina que no Brasil pode ser assim.
Mas vamos ter a esperança que temos melhores virão, e essa consciência também!
Beijos e boa semana
Aqui estamos em clima de festa... A nossa caçula vai ter aniversario...

Anônimo disse...

Que bom que você sabe "quem eu sou", rsss, ou sabe o meu ID, no caso. Eu não tenho blog e prefiro postar como anônimo a usar meu perfil, até porque não fiz nenhum comentário desrespeitoso, como se pode ver. Eu passo vários meses do ano em Portugal, muitas vezes em outros países da Europa e vejo muitos idosos negligenciados pela família, daí a minha opinião. Amo idosos e é algo que muito me toca e consterna. Enfim..., acho que nem todo idoso é abandonado pela família no Brasil e nem todo idoso é tão bem tratado e acompanhado pela família na Alemanha. Há casos e casos. Todavia, concordo que o tratamento pelo idoso em geral na Alemanha seja mais respeitoso, ou diria, polido. Abraço!

Bergilde disse...

Oi Georgia,bom dia e um bom começo de semana também.
*Estou com problemas de conexão pra enviar o comentário Tentando novamente reenviar por completo. Este tema que trouxeste do blog da Chica é mesmo muito importante e também delicado.A população de muitos países como a do Brasil está envelhecendo cada vez mais, porém do mesmo modo não está preparada para lidar com este avanço cronológico da idade. Vemos que realmente há diferenças na forma como os idosos são tratados de um lugar para outro como bem citaste na tua reflexão chamando atenção para o lado mais frágil do ser humano no que diz respeito à forma como é educado.Todo mundo sabe que o jovem de hoje será o velho de amanhã só é preciso reforçar esta idéia nestes jovens cada dia mais desrespeitosos e mal educados.
Meu abraço ,

Tucha disse...

Georgia
Concordo com Bergilde, vivemos no Brasil uma transição demografica, onde a tedência é a amplicação no número de idosos, e com todo o acumulo de problemas sociais que temos este é mais um a solucionar. Alguns municipios já estão intervindo com programas onde são desenvolvidas ações para atenção a este grúpo etário. Mas proporcionalmente são poucos. E o carinho e o cuidado da família é bastante variável. Existem famílias onde a aposentadoria do idoso é a maior parte da renda familiar. Enfim, a questão é séria,

Bel disse...

Geo, concordo com você, que hoje não criamos os filhos preparando para que eles cuidem de nós. Minha vida hoje é absolutamente ligada a de meus pais idosos, mesmo que eles (AINDA) não precisem de cuidados mais específicos como dar banho e alimentar. Mas eu nem imagino sair de Ilhéus, por conta deles.
Já meus filhos... nem imagino que um dia voltem pra Ilhéus por minha causa. Enfim... Os tempos mudam...
Beijo, amiga!

Pedrita disse...

algumas medidas para proteger o idoso no brasil são ótimas. mas na questão da saúde é uma vergonha. se for atendimento público dá medo. e se for plano de saúde é uma fortuna pq aqui qt mais se envelhece e mais tempo tem o plano, mais se paga. e aqui há uma impaciência com idoso q é assustador. cansei de ver filho colocando mãe no asilo e ficando com a casa e o dinheiro dela e nem visitando. beijos, pedrita

Ana Gaspar disse...

Concordo com você!!!! em tudo que disse...
Esta sumida lá do blog, senti falta.... : (
beijoka e boa semana

Maman B... et ses petites crapules disse...

Acho que a velhice no Brasil, esta muito bem assistida. tomo como ex. meus pais que moram sozinhos, saem, fazem o que querem, tem muitos amigos p/ sair e se divertir. minha mae é tem acompanhamento médico gratuito e remedios tb. Os idosos no Brasil tem uma vida bem ativa, é so querer!!!

Allan Robert P. J. disse...

O exemplo que damos aos nossos filhos é o que recebermos em troca.

:)

Luiza Mallmann disse...

Olá,

cheguei aqui pela Sílvia Gatti, do Arquitetura do Imóvel. Acho que pensamos semelhantemente. E me dá medo uma geração toda de jovens promissores, egoístas, pensando apenas no seu próprio bem estar, contudo degenerados e com nenhum valor moral para moldar seus próprios caráteres! É triste... aqui não se valoriza conhecimento, sabedoria, experiência de vida... estamos por demais absortos pelo consumismo desenfreado e destruindo tudo o que nos pode dar alegrias no futuro. O Japão tb é um excelente exemplo da valorização do idoso e tb dos professores!!!

Belo texto,

Beijos e excelente semana!

Luiza Mallmann
decorarsustentavel.blogspot.com

Nina disse...

O tema é sempre difícil, principalmente qd a gente faz comparacoes entre os dois paises, Ge. A gente que mora aqui sabe que as diferencas sao gritantes, nao é questao somente de os velhinhos receberem ou nao visita, mas o de o país respeitar os mais velhos de fato! Dar lugar na fila, e levantar pra idosos em ônibus nao significa absoltutamente, respeito ao outro. Isso mts vezes, serve somente como paliativos pra esconder problemas mt maiores...

Mt bonito o teu ato com tua tia velhinha. Vc trouxe um carinho inesperado e sincero a ela.

Bjs Ge

Angélica D disse...

Hola Georgia que lindo blog tiene usted, me he dedicado a mirarlo y me ha encantafo
Saludos