Você faz toda a diferenca!

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Halloween para os Evangélicos, como é isso?


Viviane ontem no jantar perguntou se ela poderia ir para a escola fantasiada de Drácula já que seria Halloween. O pai imediatamente disse-lhe que nao porque era uma festa de celebracao aos mortos e que nós por sermos cristaos festejamos a vida.
Ela me olhou com os olhos compridos, pidoes, buscando ajuda e perguntou: E você mamae, o que acha?
Eu fiquei alguns minutos em silencio me colocando no lugar dela com 8 anos e o que eu mesmo gostaria de fazer se tivesse a idade dela. Qual seria o meu entendimento nesta idade.
Christian como me conhece muito bem  sentiu a questao e  perguntou:
- E entao qual é a tua opiniao como crista, como educadora...e lá foi ele me colocando na parede. Entao eu disse:
- Eu quando tinha a idade da Viviane odiava quando eu era proibida de fazer alguma coisa e eu nao entendia porque.
Quando a proibicao é algo que poe em risco a vida da crianca eu sou 100% a favor de que se fique firme. Mas olha, ir para a escola fantasiada de Drácula e se juntar as outras criancas para rirem de si mesmas porque estao ridiculamente vestidas isso é outra coisa.
Entao eu perguntei a Viviane:
- Vivi, quando você é convidada para uma festa de aniversário de uma coleguinha sua, você vai toda feliz com um presente nas maos para brincar porque você está feliz porque a sua amiguinha nasceu. Certo?
- Certo.
- Halloween, é uma festa que está relacionada com a morte. Se sua mae fosse morta você iria querer festejar o Halloween?
- Nao mamae, nao iria porque eu seria triste. A vovó, mae do papai está morta, mas isso nao significa que eu vou estar festejando a morte dela. Posso ir amanha para a escola vestida de Drácula?
- Pode. - E foi assim gente o diálogo entre nós.
Antes de levá-la para a escola, comprei uma caixa de balinhas de borracha chamada por aqui de "Gummibärchen" com os motivos dessa festa.  Comprei a dentadura de Drácula e uma meia verde fluorescente cheiinha de vampirinhos. Eu a maquiei, escolhemos uma fantasia que pudesse combinar. Ela  levou  as balinhas e estava super feliz! Na escola somente ela foi fantasiada. As outras coleguinhas que tinham combinado com ela, nao foram, pois os pais nao deixaram. Ela me olhou com certo receio e eu lhe disse:- Güenta firme! Você queria vir vestida de Drácula nao é?
O bom foi que ela foi muito bem recebida pelas colegas que gostaram vê-la assim.
O bom foi que a professora a elogiou e gostou de distribuir com a classe a caixa de balinhas que ela levou. O bom foi que gostei de vê-la argumentar a sua posicao mesmo que eu o pai tenhamos uma outra opiniao sobre o assunto.
Melhor ainda é que hoje 2 anos depois ela consegue ver pelos olhos da Fé que Haloween nao é uma festa que celebra a Deus e por isso ela mesma decidiu que nao quer mais.

E vocês, o que teriam feito no meu lugar???

Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

26 comentários:

rose disse...

Sinceramente nao sei que argumento usaria.... Te admiro muito, es muito inteligente e otima mae, por isso tens uma filha inteligente que sabe argumentar tambem. Parabens, Georgia! Adorei as estrelinhas (^_-)-☆  

Pêtra disse...

Olha, essa foi uma "sinuca de bico"!
Acho que eu explicaria o significado da festa e deixaria bem claro que a criança poderia sim se fantasiar como as outras, mas sabendo que aquilo é uma forma de diversão e não uma forma de adoração às bruxas!
Eu ficava feliz em poder por exemplo dançar a quadrilha na escola em dia de São João! Sei que para os católicos isso é normal, mas para os evangélicos os santos não devem ser adorados e muitas pessoas acabam não sendo toleráveis também nessas épocas do ano!
Acho que tudo é uma questão de muito diálogo entre os pais e os filhos!
Acho que vocês se sairam muito bem e a Viviane pode aprender uma grande lição com seus pais!
Um beijo!!

Rebeca Cavalcante-Wilkerson disse...

G., eu tb sou cristã evangélica e vou adorar fantasiar meus filhinhos... N precisa ser de Drácola, pode ser de joaninha, abelhinha, dançarina de balé, cowboy, cachorrinho... o que for.
Acho que qnd deixa de ser uma "celebração negativa" e entra na cultura do povo, a coisa pode ficar saudável.
Imagina aqui, nos EUA, proibir um criança de se fantasiar no Halloween!!! Isso faz com q a criança ache que ser cristão não é 100% positivo. O que não é verdade! Ser cristão é a melhor coisa do UNIVERSO! :)
Na minha igreja tem até festinha de Halloween, com famílias e orações.

Agora, a Vivi argumentando, aguentando firme a fantasia... Só me mostra a autoestima maravilhosa que ela tem!
Glória a Deus por isso!

Beijão, amiga!

Dribook disse...

Que graça de criança!! Ela mostrou que independente da crença o importante é confraternizar para o BEM.
Maravilha de post Georgia...e assim vamos aprendendo que cada cultura merece respeito.
Agora quanto às bruxas é um longo assunto pois diversas pesquisas sobre a era medieval apontam que uma simples cozinheira poderia ser rotulada de bruxa (do mal)...injustiça não? Bem deixa pra lá!! Beijo grande

Emanuel disse...

Achei fantástica a sua posição como mãe, de preservar a tolerância em relação a uma festividade que atualmente não tem nada a ver com a Bruxaria. Ao contrário de muitos dos comentadores desse post, eu não sou da sua religião, mas me vi na sua argumentação se um filho meu me pedisse para ir na igreja do amiguinho.
Tolerância, a gente vê por aqui. Estou orgulhoso de seguir seu blog.

✿ chica disse...

Foste bem esperta e deste ao final a resposta...Legal! beijos,chica

Adranoel disse...

Aprendi muito com sua posição,de se colocar no lugar dela e explicar para ela o que é a festa.
Acho que Viviane vai entender que seguir a Cristo não significa proibição.Mas sim escolhas .
Odiava quando pedia a minha mãe alguma coisa e ela dizia NÃO.
perguntava por que , a resposta era porque NÃO...
Parece que está escondendo uma coisa tão terrível de uma criança .

Helenna Maeve disse...

Bom, acho que se eu tivesse um filho eu o ensinaria a crescer com a mente sempre bem aberta, sem pré-conceitos. Eu jamais iria o proibir de fazer algo tão inofensivo quanto participar de uma festinha de Halloween; pelo contrário, eu o explicaria qual a origem do Halloween e porque é tão comemorado nos EUA. Foi o que minha mãe sempre fez comigo: me ensinou a discernir o que é certo ou errado para mim, de forma prudente.
Proibição, para mim, só com um bom argumento! rsrs

Um abraço.

Lúcia Soares disse...

Não sei como agiria, Georgia. Provavelmente não a deixaria ir fantasiada, se não fosse minha convicção.
No tempo que meus filhos foram estudantes ainda não se comemorava o Halloween no Brasil. Não sei mesmo se os levaria fantasiados para a escola.
Sempre gosto de suas atitudes.
Eu não era muito de ponderar.
beijo!

Maman B... et ses petites crapules disse...

Georgia, aqui em casa, a coisa é bem diferente, estudo demais todas as religioes, exatamente porque nao tenho nenhuma. O Halloween começou a existir desde o séc. xv1, tudo em funçao das colheitas, eles festejavam p/ que tivessem fartura senao todos morriam de fome. Por conta da religiao, a igreja, que vivia de altos impostos resolveu intimidar o povo que procuravam, mulheres que sabiam tratar com plantas medicinais, chamando tal ato de bruxaria e as queimando em praça publica, depois resolveram também exterminar os gatos. Na falta dos gatos, os ratos se proliferaram e a peste matou quase todos na Europa. Bem eu como sou uma criança grande fui a bruxa da escola enfantine, contei uma estoria e distribui saquinhos de doces, e a tarde foi a vez de Belinha num aniversario! O importante é se divertir, a vida é curta! curta a vida! kkk, bjs.

lili disse...

O Halloween é uma bobagem, assim como o Carnaval. Proibir é uma arbitrariedade que não leva a nada

Sandra disse...

Adorei o comentário da "Maman B" acima. Eu li sobre a tradição do Hallowen, mas muita gente não procura conhecer a origem da festa e sai falando que é coisa do "coisa ruim", rs... Achei bem ponderada a sua atitude Geórgia! Acho que ir fantasiada na escola no dia do Hallowen não significa desrespeito pela religião, ainda mais no caso de crianças. Deixa a Vivi se divertir na inocência dela, a infância é tão curta e com o passar do tempo ela saberá discernir se deverá ou não celebrar o Hallowen. Como cantou o Gonzaguinha: "Eu fico
com a pureza da resposta das crianças...". A maldade está nos olhos dos outros, a criança só está enxergando diversão! Aqui em casa eu comprei chocolates e balinhas, porque sabia que a noite as crianças viriam pedir doces "susses oder saures", e não deu outra, elas vieram! Como eu tive curso, deixei o marido incumbido de distribuir os docinhos pra elas :-).

Beth/Lilás disse...

Ge, primeiro deixa agradecer o link do asa branca coreano, já até botei lá no post. muito massa!
Bom, eu nunca fui de arbitrariedades, embora tentasse convencer meu filho daquilo que eu pensava, mas no final sempre deixei que ele tomasse seu caminho, como você também o fez com a Vivi e ela teve que encarar a escola toda sem fantasia, uma lição que ela não esquecerá, com certeza no ano que vem ela não vai querer saber de Drácula novamente.
Mas, sabe acho tudo uma besteira das grandes, pois o importante é o que vai no coração e nas atitudes dos homens. E fico enjoada com tanta discussão a respeito dessa festa, eu só consigo ver a coisa boa e bonita que são as crianças batendo nas portas atrás de doces. Quer coisa mais linda que isso?!
Você é uma mãe exemplar querida!
beijos cariocas



Mikelli disse...

sinceramente, acho que o importante é ela ter entendido o que se festeja e que ela tenha se divertido. Ja cansei de ver ateus aqui na alemanha festejando natal, pascoa...sem saber o real motivo. No comeco achava estranho...hoje em dia, me pergunto qual o problema. Se é um dia para se comemorar, estar junto da familia, e se divertir, tanto faz se o motivo é cristao, judaico ou ateu. Bjs!

Beth Saukas disse...

G,
Estava lendo algo à respeito desta questão da celebração do halloween dentro da perspectiva do judaísmo. E os judeus não celebram o halloween. Mas, em compensação tem várias outras festas bíblicas celebradas ao decorrer do ano cheias de atividades para as crianças. E durante a festa de Purim, as crianças podem se fantasiar e algumas vão nas portas dos vizinhos, distribuindo presentes. Tendo filhos, vou seguir esta linha.
Hj sou judia messiânica, mas fui criada como cristã evangélica, e meus pais não me criaram celebrando o halloween. Como algumas pessoas comentaram aqui, é verdade, que hoje, a festa é celebrada mais numa idéia cultural do que negativa. E por quê ainda assim não celebro? porque ainda assim, na minha visão, a origem desta foi em rituais de adoração a outros deuses.
Lembro que crescendo, meus pais sempre celebraram São joão. Eu não era muito ligada nas partes das quadrilhas e danças, mas amava gastar oras brincando com fogos de artifício. Detalhe que eu tinha asma, e no final da noite, estava lá na nebolização por conta da fumaça dos fogos. Mas, sempre teimava e não abria mão dos meus fogos rsrsrs Pois bem, meus pais me educaram dizendo que não tinha problema em celebrar, pois a gente não estava adorando o santo católico. Quando chegava na igreja, o pastor pregava que era errado. E isso confunidia minha mente de criança. Já adolescente, decidi não celebrar mais.
Enfim, quando eu tiver filhos, como farei? Bem, vou educá-los no meu entendimento da torá. Quando eles crescerem, tomam suas próprias decisões.
E mesmo com visões diferentes, respeito a escolha dos demais.
Abraço!

Lulu disse...

Georgia, achei perfeita a comparação que vc fez do aniversário da coleguinha dela com a celebração do Halloween. Aqui no Brasil, as pessoas esquecem o dia do saci e substituem pelo Halloween acredita?
Big Beijos

Cristina disse...

Oi Georgia, aqui no Brasil não se comemora o Halloween da mesma forma que nos EUA, mas algumas coisas são vendidas para se fantasiar, nunca neguei um adereço desses ao meu filho por entender que é apenas mais uma brincadeira, sem maldade ou qqer tipo de adoração ou celebração, aos olhos da cça é diversão e se ainda vier com uma explicação saudável e não proibitiva, melhor ainda!Conseguir perceber a postura da sua filha foi ótimo, parabéns a vc!!
Bjs,

Bergilde disse...

Para as crianças é apenas uma data de alegria e sem outros pensamentos e conotações que se dá a essa festa.Aqui em casa nos fantasiamos,fazemos e comemos biscoitos e dançamos cantando alto também.Gostei da tua atitude e resposta,abraço carinhoso!

Lu Guedes disse...

Eu já tinha lido esse post antes e não comentei porque esse assunto de religiões me incomoda um pouco, você sabe.
Enfim, o halloween, curiosamente é uma festa cristã e não pagã como muitos gostam de afirmar, e ela não celebra a morte como você disse. O halloween é a véspera de todos os santos ou finados, sei lá. Não entendo muito bem essas festivades cristãs.
E hoje em dia, o halloween é uma festa mais comercial que qualquer outra coisa.
Os pagãos celebram samhain nesta data. Ultimo dia do ano. A proximidade do inverno. Morte e renascimento.
A morte para o paganismo não permite celebração exatamente e sim a lembrança dos antepassados com os quais tivemos a honra de coexistir. São símbolos vários.

bacio

Georgia Aegerter disse...

Hey Lu, eu tb nao entendo muito disso nao.

Gosto muito das suas palavras, porque sei que vc é ponderada.

Vc respeita minha fé e eu respeito o teu ponto de vista. Por essa e outra é que te gosto muito.

Bjos

caroline Nakagawa disse...

Gostei... muito prudente

Anônimo disse...

Queridos
Não dependeria do contexto? Halloween hoje não é apenas ou somente religioso... O monstro que vai para a festa e doa um quilo de alimento não perecível ou faz uma caridade ou contribui para o crescimento intelectual ...o monstro deixa de ser monstro propriamente dito!
Halloween não é apenas celebrar os mortos e sim a vida. É contemplar que partimos deste mundo para um mundo espiritual e o que ficou aqui somente é o corpo e por isto a preferência das pessoas ao escolher Drácula, Fantasmas, Zombis etc. Não precisa ser assim! Halloween é muito mais do que celebrar a morte por assim entenderem mas sim dar valor a vida...o quanto é ridículo e divertido ver o feio e valorizar a vida na sua forma mais divina e bela que somos. se vamos no México, aos EUA, na Europa, vemos que é uma atribuição muito mais positiva do que negativa. Existem pinturas lindas e por assim dizer artísticas, de cunho cultural e educacional no sentido da valorização da vida. Podemos nos vestir de fadas bondosas de magos bondosos ou mesmo de personagens de nossa literatura como mula sem cabeça, saci pereré, cuca de Monteiro Lobato e a história de Harry Potter, que não tem ligação com o Halloween mas hoje é usado...na realidade não importa...a importância do Halloween vai além do religioso e pode ser o social, cultural e do solidário inclusive. Pode fomentar a imaginação e deixar de lado qualquer valor de cunho formalmente religioso e das diferentes crenças existentes nos cinco continentes. O Drácula por exemplo, na literatura, tem a sua forma malévola e também a apaixonada pela vida e aquele que almeja ser mortal como cada um de nós por valorizarmos a vida! Tudo depende de como apresentamos e oferecemos a festa do Halloween para as crianças e nós mesmos!
Pode ser apenas uma questão cultural no ensino da língua inglesa, das peças de Shakespeare e outras tão importantes quanto. Privar do Halloween pode ser nos privar de riquíssimas experiências. festa por festa não faz sentido algum. Mas quando ligada em aspectos que firmam a diferença cultural, o conhecimento, nos privar disto é nos resguardamos de uma rica possibilidade de aprendizado. Pensem nisto!
Um abraço
Paulo

marcia lemos disse...

A biblia diz ensina seu filho quando pequeno o caminho que deve anadar Para que quando crescer nao se desvie dele.

Paulo Cruz disse...

Eu como pai, estou com a posição do pai dessa criança, não deixaria. ninguem vai morrer por causa de uma comemoração mundana e pagã, a biblia é totalmente contra que pratica, vejamos algumas passagens:
Morte è “Todos os que me aborrecem amam a morte.” (Provérbios 8:36)

Bruxaria e Feitiçaria è “Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria...” (Deuteronômio 18:10)

Comunicação com os mortos è “Não permitam que se ache alguém entre vocês que faça encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas” (Deuteronômio 18:11-12)

Ocultismo è “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe.” (Efésios 5:11-12)

Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor; vivam como filhos da luz e aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor” (Efesios 5:8, 10)

e tem mais, a bíblia diz: Fugi de toda aparência do mal.

Respeito as opiniões de todos os comentários, mas cada um pensa de um jeito, e eu escolho usar a bíblia sagrada para dirimir quaisquer duvidas.
Abraço a todos e parabéns pelo blog, muito lindo mesmo.

Georgia Aegerter disse...

Esse post sobre este assunto Halloween foi escrito pela primeira vez em 2012. Em 2014 voltei para acrescentar como minha filha anda vendo toda essa festa de halloween. Coloco aqui o que acrescentei no final do post. "Melhor ainda é que hoje 2 anos depois ela consegue ver pelos olhos da Fé que Haloween nao é uma festa que celebra a Deus e por isso ela mesma decidiu que nao quer mais."
E hoje um ano mais tarde, torno a acrescentar o quanto fiz bem em nao proibí-la. Ela mesma pelos ensino da Biblia e da fé que tem em Jesus como seu Salvador, decidiu por ela maesma nao mais participar da festa. Devo dizer que tudo o que é obrigado sem que se tenha um entendimento gera revolta. E pelo que sei Deus gosta que o sirvamos de coracao livres. Eu orei e confiei em Deus e Ele em seu tempo certo tem me exaltado. Se eu errei na decisao tb tenho colocado isso diante dEle. Eu só sei que como eu entrego os meus dias em seu altar, Ele tem me conduzido e tb a minha família para que O sirvamos de todo o nosso coracao e de todo o nosso entendimento. Muito obrigada por sua opiniao. Deus abencoe vocês ricamente.

Anônimo disse...

Muito inteligente da sua parte.
Minha família é católica e nem por isso nossos filhos festejam a morte. Mas sim uma data de brincar e interagir com os amiguinhos. Fantasiados geralmente de piratas.