Você faz toda a diferenca!

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Matemática nos mercados e aprendendo os nomes dos legumes e frutas



Eu li na Ann, do blog Amarelinha, um post super interessante dando dicas de como ensinar matemática às criancas no supermercado. Pedi permissao a ela para trazê-lo prá cá.
  • Peca ao seu filho/a para pesar as frutas e/ou legumes e dizer qual o peso olhando na balanca
  • Compare pesos (batata e cebola sao uma ideia que pode ser usada, ja que tem pesos semelhantes). Peca ao seu filho/a que ponha uma em cada mao e diga qual e a mais pesada. Depois use a balanca para comparar com a resposta dele/a.
  • Com o carrinho de compras cheio, peca ao seu filho/a que de uma estimativa de quanto sera o valor da compra e quantas sacolas serao necessarias
  • Depois que souber o valor da compra, diga ao seu filho quanto de dinheiro esta dando ao caixa do supermercado e peca a crianca que diga quanto de troco voce devera receber. Depois deixe que ele/a conte o troco para ver se esta correto
  • Se no supermercado tiver algum folheto de promocoes, leve para casa e peca ao seu filho que escolha alguns produtos como frutas, verduras, produtos de limpeza e faca uma lista de compras com precos e total.
Eu nunca fiz nada disso com o Daniel, mas ele tem a mania de já ir fazendo a conta do trôco que vou receber quando estou pagando as mercadorias.

O que faco com as criancas é treinar os nomes dos legumes e das frutas.
Minha pergunta é: Você já pensou que ao fazer compras você poderá usar esses momentos para que o teu filho conheca melhor os alimentos e nao somente os brinquedos e doces?

Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

27 comentários:

Chica disse...

Que maravilhosa idéia.Lembrei de pegar esses encartes e dizer ao neno que vou dar 50,00 (fictícios) pra ele fazer comprars.
Podemos ensinar sobre compras boas ou desatinos por lá,não? Vou fazer! Isso faz com que tenhas a noção do real valor do $$... Beijos,chica e obrigado!

Vanessa disse...

Adorei a ideia, Georgia. Meu filho já gosta de ir ao mercado comigo , agora é só esperar ele começar a ler e fazer contas para implementar a ideia.

bjs

João Menéres disse...

Muito bem postado ( via ANN), GEORGIA !

Muito útil.
Vou falar nisto aos meus três filhos !!!

Um beijo.

Pedrita disse...

é sempre bom usar exemplos do dia a dia para entender as matérias. beijos, pedrita

Albuq disse...

Oi Georgia!

Acredito que além de ensinar matemática e nome de frutas e legumes, você ainda pode mostrar a importância dos alimentos para o organismo. Muito legal a dica. bjsss

Eu fui uma criança como Daniel, sempre gostei de contar o troco antes dele chegar prá ver se acertava.

Jens disse...

Louvável, saudável e criativo sistema de aprendizado, Georgia. Bem diferente do que acontece em Santos, onde um professor de matemática de uma escola estadual passou aos alunos do primeiro ano do ensino médio seis problemas que citam temas como tráfico de entorpecentes, prostituição, roubo de veículos, assassinato e uso de armas de fogo. Nas questões, o professor pergunta, por exemplo, qual a quantidade de pó de giz que um traficante deverá misturar para ganhar 20% na venda de 200 gramas de heroína ou quantos clientes cada prostituta deverá atender para que o cafetão compre uma dose diária de crack.
Simplesmente estarrecedor. E triste. Um caso de cadeia.

Beijo.

Gisley Scott disse...

E sem contar que aos poucos, a mãe tb já está preparando eles para a vida, colocando em situações do cotidiano que eles terão que desenrolar. Achei bem proativo, Gê :)!

Fiz uma brincadeira lá no blog.Sei que vc não gosta de meme e nem de selo,mas te convidei porque é algo diferente. Sinta-se à vontade para dizer não, caso não esteja interessada- sem problema :)!

Vou deixar o link aqui pra vc:

http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/2011/02/novo-quadro-do-blog-pergunte-ao.html

Bjos!

Anunciação disse...

Diante de tudo o que já foi dito por pessoas sensatas,só me resta apoiar mais essa idéia brilhante;e simples,com certeza.

Tucha disse...

Lembro que a escola do meu filho o levou a um supermercado para a aula sobre pesos e volume e depois (a melhor parte, segundo ele) foram num sorveteria a kilo e a brincadeira foi advinhar o quanto pesavam as escolhas de cada um.

Coisas da Gigi disse...

Boa idéia, muito boa mesmo, nunca tinha pensando nisso com a Gi, ela sabe sim a pasta de dente dela, e as coisinhas dela, mas de adultos não saca nada. Vou começar.

Allan Robert P. J. disse...

Georgia,

Minhas filhas começaram a aprender a ler muito cedo, com o método Dolman. O processo inicia-se aos três mese de idade (!), muito antes da criança aprender a falar. A consequência é que aprenderam também a fazer contas mais cedo. A única verdadeira batalha foi com frutas e verduras, mas a coisa mudou quando chegamos na Itália. Muitos dos nossos almoços são só vegetais, apesar de sermos todos onívoros (principalmente carnívoros).

Mylla Galvão disse...

É uma boa Gê...
Mas não funciona com o marido... Aí vc tem 2 só... Aqui temos 4 meninas de idades diferentes e mto pidonas (rsrsrs)! Não daria certo!

Mas sabe que um dia vou tentar?

Olha, para matar sua curiosidade, eu postei lá no Vidas o q estou lendo viu?

bjo

Mimirabolante disse...

Quando eu dava aulas,fazia um supermercado dentro da escola utilizando as embalagens vazias....era um barato. Em 2003 /2004/2005 fui com as minhas turmas,a um supermercado para comprarmos o nosso lanche.Nesta atividade ,eu estabeleci uma regra,só poderíamos comprar coisas que a nossa mãe compraria (nada de bobagens ).Trabalhamos o valor das coisas,o troco e etc.Na volta a escola,faziamos picnic......Era muito legal.As crianças adoravam....Minha turma tinha entre 6 e 7 anos.......me deu saudades esta sua postagem !!!!rsrsrsr....bjcas

Regina d'Ávila disse...

Georgia...
Sempre estou correndo...esqueço de aproveitar estes momentos para ficar mais perto do meu filhote.
Boa ideia...como sempre, sempre..
Bom final de domingo, amiga..
Super beijos,
Regina d´Ávila.

Beth/Lilás disse...

Georgia,
Agora que meu filho já é um adulto, penso que o poupei de muitas coisas, porque achava que ele não iria se interessar, porque poderia achar massante, chato, perda de tempo, mas se fosse agora um novo tempo, o levaria ao supermercado, às compras, à feira, até mesmo ao cemitério.
Muito interessante seu post.
bjs cariocas

Bergilde Croce disse...

Hoje se aproveitam as situações do dia a dia pra ensinar a criança a fazer cálculos e os resultados positivos são visíveis rapidamente.Francesco tem somente cinco anos ,mas é muito interessado em números e cifras e nessa parte eu não contribuí,devo tudo à escola que promove 'gitas'(passeios)nos minimarkets e mercadinhos com as crianças, envolvendo-as com os cálculos simples.
Bom dia!

shan-Tinha disse...

guten morgen geo! (olha a intimidade)
ter vc no meu blog acreditando em mim é maravilhoso!
obrigada pela atenção e carinho!
ótima semana pra vc!

shan-Tinha disse...

fui professora dos pequenos durante muitos anos, ah como eu procurava fazer situações reais para ensinar as matérias, uma que fiz e que agora já não é muito interessante, foi talão de cheque no mimeógrafo, aí fazíamos feirinhas na sala e cada um com seu talão de cheque preenchia a folha, assinava e pagava, nesse trabalho eles aprendiam matemática e português. Só que agora usamos mais cartão de crédito, mas ainda vale pela aprendizagem.
bjs!

Celia disse...

Boa ideia pra quem tem filhos pequenos. Bj

Iza disse...

Georgia, gostei do texto mas vim para saber de você pois li lá na Toca que não estavas muito bem.
Fiquei preocupada!

Celia Rodrigues disse...

Sem dúvida é uma forma diferente de ensinar. Aposto como a maioria das crianças vão encarar como algo divertido e, quem sabe, até se afeiçoar mais às verduras e legumes.

BIA disse...

Oi Georgia!!!
Vi teu comentário lá no blog do Alex e tu perguntava se tinha algo para enxaqueca... então vim te deixar o endereço do blog da Maria que ela entende tudo sobre isto porque ela dissse que é um problema familiar e dá dicas ótimas no blog dela, então se tu quiser conhecê-la e trocar uma idéia sobre o assunto, o blog é http://naturalmentecomigo.blogspot.com/

Beijos
Bia

Regina d'Ávila disse...

Amigaaaa,

Já está melhor? Ficou boa? Espero, sinceramente, que sim..
Volte logo...sem você não tem graça..
Um super abraço, com gosto de maresia..desse nosso mar(zão) carioca.
Acho que você está precisando do colinho do Cristo...venha ao Rio passear com a família..VENHA..
Sabe que minha casa é sua casa, amiga.
Super beijos, carinhosos,
Regina d´Ávila.

Gaspar de Jesus disse...

Olá GEORGIA
Por aqui está tudo em Paz.
Espero que por aí aconteça o mesmo.
Quanto à pergunta, são efectivamente guarda-chuvas.
Gosto muito das suas visitas, bem como, das extraordinárias lições de vida que nos dá.
Beijinhos
G.J.

Nani disse...

Oi Georgia!!! Vim agradecer o comentario e a visita no meu blog. Nao lembro de jah ter vindo aqui. Assim que vi sua foto lembrei de uma tia minha (quando era nova assim como voce), muito parecidas, linda!!!!

Adorei sua dica com relacao ao livro, eu tenho porque meu marido comprou mas nao sou muito de ler livros de auto-ajuda pois sempre da a impressao de que o autor ta falando algo que jah sei, haha. Mas eu vou pega-lo pra ler sim porque se ateh meu marido que eh homem se interessou, entao eh porque eh bom mesmo. Quanto a luz da janela, pois eh, soh me liguei depois que o video tava postado, haha. Eu nao tinha outro lugar na minha casa, como nao tenho cortina, e tem janela em tudo que eh lugar nao tem como eu fugir da luz. Mas da proxima vez vou tentar fazer melhor. Obrigada!!!!

Cris Caetano disse...

Como não tenho filhos, falo por experiência própria mesmo... rsrs eu sempre acompanhava minha mãe ao supermercado e tanto ela dizia quais eram as frutas, legumes e verduras (porque fui habituada a comer de tudo) como eu também perguntava, porque sempre fui curiosa quando o assunto era comida... haha

Beijão, Ge

shan-Tinha disse...

oi
vi seu comentário ( 21 de fev/) no meu blog sobre a mamadeira...minha bb agora está com 24 anos e realmente ela era e é muito vaidosa, adora até hoje batom, sorvete! já era assim naquele tempo qdo aconteceu o acidente...qto a língua alemã, até hoje meu marido fala uma palavra em alemão de uma frase inteira em português, até com as nossa cachorrinhas, é fazerem alguma coisa errada ele já fala: olha o schlap e elas entendem!!!

ah, leste meu post sobre guten morgen joinville?
bj e até!