Você faz toda a diferenca!

sábado, 24 de abril de 2010

Cristaleira um objeto de estima

Saudade nao tem idade

Essa é a nossa cristaleira. Ficamos procurando por uma um tempao.
Minha avó teve uma e eu ficava fascinada com o mundo dos vidros que tinha lá dentro.
As cristaleiras sao eternas, estao por ai atravessando o mundo e suas geracoes.
A nossa nao é o estilo clássico e nem tradicional mas uma adaptada para o mundo moderno em que vivemos hoje em dia. Aliás, essa nem é tao moderna assim. Hoje em dia existem até em cores para cada gosto.
O arquiteto Dalton Vidotti, diz que elas acompanham a modernidade e combinam bem em qualquer ambiente.
Eu digo que elas sao contadoras de histórias, de causos, de risos, de lágrimas, guardo muitas lembrancas dos momentos que passei brincando no pé da cristaleira e meus pais sentados à mesa para uma refeicao e lá estava a cristaleira da vovó decorando o ambiente. De repente uma voz dava o comando:
- Menina, levante e pegue uma taca na cristaleira pro vinho.

Para Vidotti, três objetos definem o estilo de uma pessoa. “Os portas retratos, os livros e a cristaleira que se têm em casa.”

E você concorda com ele? Também tem lembranca de alguma cristaleira na família?



Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

31 comentários:

Chica disse...

Na casa de minha mãe tem uma que não cabe mais nada. Cheia de relíquias,bonequinhos, canecas,tudo que ela acumulou de presentinhos pela vida...Lindo de ver.beijos,chica

Anunciação disse...

A da casa dos meus era linda,cheia de taças e outras coisas;ela ainda existe mas foi reformada pois ao longo dos anos e com a chegada de netos e mudanças,danificou-se;mas continua lá e eu gosto de vê-la.A sua é muita linda.

Dalva disse...

Ainda temos na casa de nossa avó... tão antiga e cheinha de histórias e lembranças... Adoro estes teus posts!

Beijos, bom fim de semana!

Eliane Pechim disse...

Eu não tenho cristaleira, mas tenho dois aparadores que absolutamente amo e é neles que coloco nossas louças mais finas e estimadas. Linda sua cristaleira.

Beth/Lilás disse...

Georgia, meu bem,!
(Não sei se conseguirei postar este comentário, mas vai lá!)

Na casa de meus pais tinha uma, de época, linda, toda em espelhos e portas de cristal, negra com o ébano. Não sei que madeira era aquela, mas meu pai comprou-a de um consulado inglês naqueles idos de 60.
Minha mãe amava e meu pai tam´bem.
Eu e minha irmã, adolescentes, mais pra aborrecentes, já naqueles idos dos móveis pés de palito e madeira clara, geralmente muitas vezes mais vagabundas do que aquela belezura, firmamos um acordo de quebrar nas nossas limpezinhas da casa a cada dia um vidro da mesma
E meu pobre pai sofria, pois via seu móvel indo pro beleléu. Até que um dia capitulou e comprou para nossa casa um belo móvel de sala de jantar todo no estilo chipandelle que nós queríamos, acho que minha mãe também.
Hoje, entendedora das cosias e admiradora das artes, quando me lembro do que fiz, chego a sentir vergonha e para resgatar esta memória 'quebrada', tenho uma bem lindinha e antiga na minha casa da serra, cheia de lindas xicrinhas de época.
Adoro móveis antigos e estes objetos que citou são realmente lindos e cativantes para nossa memória.
beijos cariocas

(Georgia, meu blog tá aprecendo direito por aí? Postei ainda há pouco e o que vejo por aqui é um post amontoado sobre o outro. Será?)

Camille disse...

Nossa, eu concordo interiamente com ele( que no minimo deve ser canceeriano como eu, ou taurino).
Minha avo de parte de pai teve uma cristaleira. Mas nunca foi uma coisa fascinante para mim. Eu gostava de algumas cristaleiras que via em outras casas. Ate que comprei uma para mim. Nada de tao grande como a sua. Uma bem simples, nao é uma antiguidade mas tem cara de antiga. Ali eu guardo reliquias: copos de cristal que ganhei no casamento, xicaras que minha avó deixou para mim depois que morreu. Xicaras que minha sogra me deu quando casei e pratinhos Rosenthal idem. Esses pratinhos tem florezinhs lindas e vou guardar para quando Anna Luiza casar. Tambem amo meus livros, nao so os de estudo,mas alguns de fotografias, outrs ilustrados, das mais variadas coisas. E os porta-retratos? Amo fotografias, principalmente de gente que amo. Tenho portas retratos por toda casa. Alguns deles que comprei em viagens, outros que comprei logo ali, mas todos refletem sim meu jeito canceriano de ser.
Tenho tb moveis que me acompanham,sofas de minha mae que ja forrei dezenas de vezes, e uma mesa de jantar e cadeiras dadas pela minha primeira sogra. Nao tenho coragem de troca-los pelos moveis lindos,novos, que estao no guarda-moveis. Aqueles sao moveis da separaçao... Acho que vou vender.
Beijos querida, adoro recordações, as boas!
Cam

Gisa disse...

E não é que também adorava a cristaleira do meu avô ? sempre que chegava na casa dele ia correndo pra ver se tinha meu doce favorito kkk

... sou viciada em doce de leite. rsrs

Celso Ramos disse...

MInha esposinha tem muitas lembranças da casa da avó dela onde, naturalmente , existia uma enorme cristaleira..por isso temos uma aqui em casa, versão contemporânea feita de madeira de demolição..é bem bacana..tem um aspecto rústico coisa aproximada ao barroco mineiro. Algo (estilo) tipicamente brasileiro eu diria!!

Eduardo P.L disse...

Concordo plenamente dom o Dalton. Como as taças são SÓ para as MENINAS... fui!!!! srsrs

bjs

Mi disse...

nunca gostei de cristaleiras, ate pq nunca gostei de ver vidros. E me da uma ideia de coisa antiga, de naftalina ;) hehe Os nossos copos de vinho ficam sim na sala, mas escondidos. E se fosse o Vidotti, eu tava perdida...nao tenho cristaleira e nem porta-retratos ;) Nao gosto tb. Temos apenas 2 retratos nossos ampliados como quadros. bjs!

ematejoca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Augusta disse...

Georgia, ADORO cristaleiras! Minha mãe tinha uma fechada a sete chaves para que nossas mãozinhas curiosas não alcançassem seus tesouros, quando criança eu passava horas a admirar as porcelanas e cristais que havia lá dentro.
Gostei também da sua, cheia de cistais e lembranças de viagens.
Beijos.

Erica Vittorazzi disse...

Minha mãe tinha uma cristaleira, mas os olhos gordos da vizinha fizeram todas as taças quebrarem, acredita?

Georgia, obrigada por me avisar da brincadeira do Edu, eu amei!!

Beijos

Albuq disse...

Oi Georgia!!!
Estava ontem assistindo aula sobre o período colonial na Paraíba, daí a professora citou algumas heranças das elites européias, justamente a cristaleira, perguntando se a gente não lembrava na casa da avó... ahhhhhhhhhhhh que lembrança boa!

Café da tarde, com biscoitinho finos nos potinhos guardados na pratileira cheia de chistais... amooooooooo essa recordação!

bjs, bom fds!

Pedrita disse...

a minha avó tb tinha uma e eu gostava muito. fiquei muito triste q venderam e nem consultaram se algum outro herdeiro iria querer. beijos, pedrita

Anônimo disse...

Georgia, estou acompanhando o caso por aqui sobre a alteração dos links de postagens e li agora no comentário da "Ematejoca" a confissão dela, que ela mesmo fez isso e ela gritou o tempo todo que era inocente.

Se ela está acostumada com os bloguitos alemães, e que eles o fazem e que isso é comum, prova tudo, prova que ela mesmo fez mas não teve coragem de assumir que o fez.

Que feio prá ela.

Podia ter dito logo desde o início isso, e ai pedia desculpas e ficava tudo resolvido.

A verdade amiga sempre aparece mais dia menos dias e você tinha toda a razão em gritar.

Um beijo grande Lúcia Pinheiro

Jens disse...

Na casa da minha infância havia uma cristaleira. Hoje, acho que estão em extinção, assim como os bidês.

Beijo, Georgia.

ematejoca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rubinho Osório disse...

A nossa contém duas coleções: a de casinhas e a de bonecas. São ao todo quase 400 objetos espremidos na vitrine para nosso deleite. Já os porta-retratos estão por toda a parte, inúmeros.

Vera Blank disse...

Nada mais gostoso do que ter uma cirstaleria e ficar lembrando do tempo dos nossos avos e/ou maes. Mas o mais importante e que e agente pode ter uma que nos ajude a traduzir as nossas fantasias e saudades da infancia!! Achei linda a sua!!! Beijocas,
Vera Blank

Ivana disse...

Georgia, a sua cristaleira é linda! Eu adoro este estilo de móveis. Nem na minha infância nós tivemos uma destas e, hoje, acho que não teremos espaço para uma aqui em casa... Mas imagino quanta história é capaz de guardar uma cristaleira...
Beijo!

Jota Sena disse...

Olá Georgia bom dia!

Esta semana, eu não estava fazendo nem um comentário das postagens de nossos amigos blogueiros. Somente os visitava. E ontem passei para alguns, meu relato do por que.
Mas esta da prateleira eu não resisti.
E…
Como sempre, tuas postagens são de um teor indiscutível, nos faz recordar de passagens maravilhosas dos bons tempos vividos… Principalmente para quem é um saudosista pensador… Não te digo nada, se daqui uns dias… Eu não estarei te pedindo licença para fazer uso desta prateleira… Rsrs.

Abraços Georgia e bom domingo!

( recebeu o e-mail…?).

Aninha Pontes disse...

Minha sogra tinha uma cristaleira.
Linda e majestosa, como elas devem ser.
Se perdeu.
Beijos querida.

Cris Caetano disse...

Tenho, a da minha avó que hoje está com uma de minhas tias. Adoro! Mas pra minha grande tristeza, minha mãe não gosta.

Beijocas

Celia disse...

Sim, eu lembro. Nos tinhamos em casa uma cheinha de vidros. Nós temos uma aqui em casa mas, no estilo bem moderno. Gosto muito dela. Boa semana. Bj

Amanda Luna disse...

oii tem selinho p/ vc no meu blog, passa lá pra pegar tá!!
beijocas
sermulhereomaximo.blogspot.com

Bergilde Croce disse...

Gosto de objetos do tipo.Aqui em casa temos uma com muitas louças em porcelana e cristais que ganhei da sogra(já como herança,rss!),mas que é trancada(por conta das crianças,entende?)e também minha mãe lá no Brasil cultiva o gosto por móveis e objetos antigos,tendo a sua na sala de jantar.Coisas simples,mas valem sempre a pena valorizar!Abraços,Bergilde

sonia a. mascaro disse...

Acheu linda a sua cristaleira Georgia! Eu não tinha visto esse seu post, porque minha conexão tem estado péssima... E o técnico esteve aqui e não descobriu ainda o problema...

Concordo com o arquiteto, principalmente em relação aos livros. Quando vou visitar uma pessoa pela primeira vez, gosto de ficar lendo os títulos dos livros nas prateleiras, pois para mim, eles me dão o perfil daquela pessoa.
Beijos.

Sonia H disse...

Georgia,
Quando era criança, tínhamos uma linda, enorme... E eu levada que era, às vezes tentava escalá-la... (eu não era fácil, menina)... ficava maravilhada com as taças e tudo o que minha mãe guardava ali. Infelizmente minha mãe não a tem mais...
Mas lendo esse seu post, também lembrei de um livro que ainda não li, mas que desde que foi lançado, ficou na minha longa lista de leituras - Chama-se A Cristaleira de Graziela Bozano Hetzel. Este livro foi muito premiado na época do lançamento - é direcionado ao público infanto-juvenil, mas para mim, é para quem gosta de ler um bom livro mesmo. Leia a sinopse aqui nesse link:
http://www.fnlij.org.br/principal.asp?texto=PNBE&arquivo=/pnbe/texto/a_cristaleira.htm
Beijos,

Celia Rodrigues disse...

Lembro de uma cristaleira que tínhamos em casa, mas era diferente da sua. Era toda envidraçada de cima a baixo. Eu sempre a achei linda, mas só depois de adulta, quando ela não existia mais eu fui saber que se tratava de um móvel de valor, clássico e feito com madeira de lei. Minha mãe que nunca se deu conta disso não a preservou. Hoje ela poderia ser minha... :(

Anônimo disse...

Esse móvel não é uma cristaleira, mas sim uma arca.