Você faz toda a diferenca!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Viver com seguranca significa viver melhor?

Christian na época colocou a opcao de onde vivermos nas minhas maos. Ele me disse que para ele tanto fazia, mas decidir onde morar nao seria tao fácil para mim. Mesmo assim optei por viver aqui porque nao poderia me ver confrontando com os perigos de uma cidade grande no Brasil.
Nao poderia imaginar Christian indo trabalhar e nao voltando por ter sido rapitado. É, porque infelizmente ser estrangeiro no Brasil é sinônimo de ter dinheiro. Posso até ter sido muito radical com os meus pensamentos, mas na época eu pensei que poderia estar colocando a vida dele em risco e eu nao queria ser a responsável por algo assim. Preferi enfrentar o rigoroso inverno a enfrentar os perigos de uma cidade grande como o Rio de Janeiro e Sao Paulo. Posso ter sido covarde nao me dando uma chance de experimentar, mas nem quis saber. Christian estava muito voltado a ir viver no Brasil, quando um amigo nosso, jovem de 25 anos que Christian tinha conhecido e trabalhado em Sao Paulo foi assassinado num posto de gasolina enquanto enchia o tanque. Isso, veio colocar um ponto final na minha decisao.
Por que estou contando tudo isso? Porque muita gente pensa que viver no estrangeiro deve ser bom demais. É bom demais em relacao a seguranca, mas imagina você nao ter aonde ir à noite porque está frio, e você nao fica lá muito animada com isso, porque chove sem parar, porque a neve tá caindo e ai você tem que mudar o programa.
Verao existe? Claro que existe. Eu nao me lembro nesses 16 anos de Alemanha de ter um mês inteirinho de sol. Você planeja uma festa no jardim da sua casa e tem que contar com a possibilidade de cair um toró.
Embora as estacoes do ano por aqui sejam bem definidas, percebo que o verao nao passa de alguns dias de sol. Nunca mais eu soube o que é ter 3 meses de sol seguidos. Junta tudo isso com 16 anos de Alemanha e você vai vendo que mesmo no Brasil sendo tao perigoso, com todos os problemas governamentais que o país vive. O pobre vive melhor que os europeus em questao de viver. No Brasil há sempre um barzinho aberto, aqui você está encolhida vendo a vida passar. Como eu disse, tudo há um preco a pagar. Eu aplaudo a Sonia Horn que teve coragem de ir viver no Rio de Janeiro com o holandes dela. Essa coragem eu nao tive. Tem gente que chora por ter trocado de Estado no Brasil, sente falta das comidas, dos amigos, imagina eu aqui.
Mas sou da opiniao que: Você deve procurar viver bem aonde teu coracao te levou.


Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

26 comentários:

Diego Borges disse...

Eu sei o que vc quer dizer. Eu ja disse em vários comentários que não tenho a minima vontade de conhecer outros países. Amo tanto o meu que prefiro conhece-lo de ponta a ponta. Aqui tem mais liberdade e muitos lugares belos e interessantes. Tem gente que não sabe valorizar realmente o que tem. Eu sou apaixonado pelo outono mas não trocaria nunca meus seis meses de chuva por ele.
Muito legal sua postagem, que algumas pessoas lendo-a possam entender a questão de melhor forma e assim escolher bem .
Outra coisa, em momento algum vc foi covarde. só quem ta calçando o sapato sabe onde aperta e tenho por mim que se vc é feliz então vc fez a escolha certa.
Um grande abraço !!!!!!!!!!!!!1

Pedrita disse...

eu gosto muito de viver no brasil, mas sei q no estrangeiro seria mais fácil encontrar alguém. mas gosto daqui, de estar perto da minha família. prefiro tentar por aqui encontrar alguém. beijos, pedrita

Eduardo Santos disse...

Olá amiga. Faz tempo que não visitava seu espaço. Está mais bonito e acolhedor. Gostei do seu post, é bom que possamos ter opções e segui-las. Como tudo na vida descobrimos o bom , mas tambem aquilo que não gostamos. Eu costumo dizer que a nossa terra é onde nos sentimos bem (também financeiramente, pois por vezes somos obrigados a optar por isso). Tenho uma afilhada aí, na Alemanha, com família constituida e também deixou Portugal para se fixar nesse país. A vida é mesmo assim. Felizmente - ou talvez não - nunca necessitei de sair de Portugal para trabalhar ou viver, já me sinto feliz quando posso ir visitar outros países. Tudo de bom.

Jota Sena disse...

Olá Georgea Tudo bem? Espero que sim!

Georgea! O que aqui relatasse. Me fez pensar até onde nos leva o amor! Se, fizeste esta opção… Tenho certeza! Que! O que estas perdendo de viver aqui no Brasil, Será recompensado no teu amanhã… Porque, não há nada mais gratificante, do que vencer na vida ao lado de quem se ama… Meu desejo é que sejas feliz junto aos teus. Sendo aqui o acolá… O que realmente importa, para quem ama! É a felicidade do seu bem amado(a).

Um grande abraço… Estendido a todos os teus!

Até mais.

Amanda Luna disse...

oii amo o Brasil de todo coração e,sair daqui só mesmo apra conhecer outro país e voltar rapidinho p/ o aconchego brasileiro ( que vc deve ter saudade)mas entendo a sua preocupação.. aqui realmente temos que conviver com sequestros, assaltos e,assassinatos, numa proporção maior comparada a alguns outros países, na TV temos noticias dessas todos os dias, mas também acredito que quando as coisas tem que acontecerem, elas acontecem esteja você onde estiver, estamos todos sujeitos a qualquer tipo de violência em qualquer lugar do mundo!!
e não acho que vc não foi covarde, apenas fez a escolha que achou que era a certa naquele momento... de qualquer forma, se quiser voltar será muito bem vinda!!
beijos

Chica disse...

Vou te contar uma coisa.Ando questionando essa tal qualidade de vida.

Sei que ela é TUDO aquilo que aqui não temos direito(falo dessa cidade horrorosa onde moro) Se sais sem carro, chegam de moto, te assaltam, até de bici...

Se, de carro, deves estar de olho. Nos estacionamentos, supermercados, tuuuuudo...

Resumo...Sonho com as férias em SC,numa praia tranquila, beira mar,e lá ainda se pode ter qualidade. Aqui, além do mais, o trânsito, os engarrafamentos...

Ficamos presos, enfim...Não suporto mais essa vidinha de droga por aqui...

Um dos meuss filhos voltou do exterior, após morar anos por lá.

Veio com a família pra estar perto de nós.

O que ocorreu??? Ele e o filhinho, pequeno, foram assaltados,com armas na cabeça...

Enfim, após um mês, venderam tudo e retornaram pro exterior ,pra NUNCA MAIS voltar.

Não se acostumaram mais a esse campo de sangue livre. Nós estamos presos e os desagraçados bandidos, soltos, nos assustando.

Acho que isso, pode te ajudar numa decisão,srrssr beijos,desculpe o "jornal", é que esse tema está entalado na minha garganta...beijos,chica

Camille disse...

Sabe de uma coisa? Acho bacana voce escrevr sobre isso nao so por essa fantasiade ser bom morar fora,como t existe gente louca para arrumar um gringo seja la quem for, para morar onde for, desde que largue a vida ruim daqui e se encoste num estranja com dinheiro no cofrinho.Desse jeito a gente ve que seu marido te ama e viria numa boa para sua terra morar com voce, voce é que nao quis, por razoes bem racionais. Acho muit bom esclarecer para esse povo que tem auto-estima baixa e ahaque pode deitar no chao para um gringo passar por cima. Voce é lindA Georia, um exemplo de pessoa e de mulher.
Beijos da Cam

Cris Caetano disse...

Bem, minha amiga, você sabe que já morei em Portugal e te compreendo perfeitamente.

Portugal tem um verão fantástico, as pessoas são mais alegres do que os outros países da Europa, e mesmo assim eu sentia falta do Brasil e no seu lugar eu teria tomado a mesma opção pelos mesmos motivos.

Ser loira e branquinha aqui é complicado, nunca consigo um preço bom numa feira, onde feirantes me olham de cima embaixo e cobram mais caro, e não tenho o tipo de estrangeiro que Christian tem. É uma pena o Brasil ser assim...

Beijos

Eliane Pechim disse...

Eu nunca quis nem conhecer os EUA e agora estou morando aqui. Assim como para voce, o que pesou na minha decisao foi o quesito segurança. Mas a diferença é que eu nao sinto essa nostalgia que outros brasileiros sentem em relaçao ao Brasil. Nao me apego a lugares. Nao sinto falta. Sou uma capixaba que nao curte calor/praia/sol. Vim para no frio de Michigan e adoro. Mas se amanha tiver de voltar pro Brasil ou mudar pra outro lugar qualquer, vou e nao olho pra tras. Eu me adapto facil e nao me apego a lugar nenhum, nem aos que eu gosto. Beijo

Ivana disse...

Georgia, entendo suas "faltas" com relação as coisas que gostas aqui no Brasil. Mas, sinceramente, acho que tomastes a decisão certa, amiga. Uma noite de sono tranqüila não tem preço.
Um beijo, saudades.

Gisley Scott disse...

Olha,
Não é fácil. Tb enfrento minhas dificuldades aqui. O frio deixa a gente um pouco p/ baixo pq isola as pessoas.Matthew tb perguntou se eu queria morar no BR e disse que seria melhor por aqui.Realmente apesar dos pesares, a segurança pra mim ainda pesa demais!

Meu marido teve que fazer inventário nessas semanas e teve que sair do trabalho às 6-7 da manhã e com o horário de verão por aqui, o sol demora a sair. Não conseguiria dormir se vivesse no BR. Eu acho um terror a gente não poder abrir uma bolsa ou falar no celular em plena praça pública no BR, porém eu acredito que a gente é feliz onde a gente tem a nossa família.Vc tem seus filhos e esposo aí, então isso ajuda.

Gostei muito da frase procurar viver bem onde o coração te levou.Que a gente possa tirar proveito das escolhas que fizemos!

Gde abraço!

Gisa disse...

É Geo, foi um ótimo desabafo. Entendo você completamente, infelizmente o Brasil anda violento e cheio de governantes desinteressados. Acho que sua decisão foi importante naquele momento, era importante estar num lugar seguro, mas será que não pode mudar de vida em outro momento ? será que agora com as crianças maiores vocês não poderiam tentar algo novo ?
Existem lugares no Brasil que são deliciosos, eu moro em Niterói que fica logo ali no outro lado da poça, acho que vivo mais tranquila, posso deixar minhas meninas mais soltas.
Meu "namorido" (já estamos a 8 anos juntos) é de Genebra, ele não consegue imaginar viver tantos dias de nuvens, quando ficamos uma semana sem sol é pura depressão.

Enfim, o que é legal mesmo é poder ser feliz onde se sinta mais completa, com ou sem o sol, e claro, ao lado da nossa familia não é ?

bjsss

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Georgia.
Eu pensava como vc.
Mas depois que vi tanta gente voltar, sofrer, ser assaltada, passar por toda a confusão, burocracia e problemas no Brasil...meio que mudei de idéia.
Não existe lugar perfeito no mundo.

Tenho muitos amigos que qdo moravam aqui no Japão só queriam voltar para o Brasil. E chegando lá... não se adaptaram, até entraram em depressão e se arrependem de terem deixado o Japão. É uma questão complicada.

A gente tem a tendência de se afastar de um lugar e apenas lembrar das coisas boas. Assim é nossa imagem de Brasil. Ai qdo vc voltar pra lá, vc vai se lembrar das coisas boas da Alemanha.

Será que não te faria bem passar umas férias no Brasil? Vc deve estar com muita saudade, é isso que te faz pensar desta maneira.

Desejo a vc muita paz e amor, que Deus proteja a vc e sua familia

Katia R. Silva disse...

... na paz do Senhor eu queria que você levantasse suas mãos aos céus e agradecesse o BEM de morar fora do BRASIL .
Eu tive uma filha estuprada e morta por bandidos . Minha casa foi assaltada várias vezes e colocaram facas e revólveres em minha boca .
Perdi um primo por causa de uma bala perdida . E tempos atrás passeei de carro amarrada em um porta malas em sequestro relâmpago ouvindo ladrões falando : vamos matar ela, é melhor pra ela não nos dedurar . Deus que me salvou .

tudo isso aconteceu no lindo Rio de Janeiro que você fala . Pense bem no que desejas pois se Deus atende seu desejo e te leva de volta ao Rio e sua familia passa o que eu vivo ? Será que é melhor tomar suco em um barzinho ou é melhor ter as pessoas que você ama vivas ? Você não sabe como eu trocaria todos os barzinhos do mundo para ver minha filha viva . Não sejas tão egoísta e infantil .

Fui sincera mas abra os olhos e não seja tão má agradecida ao país que te acolhe com segurança.

Georgia disse...

Obrigada Katia por suas palavras tao sábias, experiente e principalmente dirigidas por Deus.

Que Deus console o teu coracao.

Volte mais vezes.

Um grande beijo

Fatima Cristina disse...

Georgia,

Como eu te entendo!!!
Que sejamos felizes mesmo com todos os "contras".

Beijos

Celso Ramos disse...

Olá Georgia!!

Que a paz do Senhor conforte o teu coração!! Lendo seu texto fiquei um pouco sem saber o que dizer...Concordo contigo que viver sem segurança, em um tipo de espectativa negativa não é bom pra ninguém....Mas sinceramente eu só saíria daqui, realmente para que minha família pudesse desfrutar de mais conforto..neste caso a única coisa que nos falta é grana..que sempre é menor que nossos gastos em função do alto custo das coisas... Aqui temos tudo próximo de nós...vou a pé até praia...faço compras no mercadinho e ainda posso pendurar a conta.... Só não leio Kant em alemão!!(No entanto a versão da Calouste Gubenkian, coincidentemente o nome da escola pública onde estudei, tem uma ótima tradução) Não podemos ficar "pilhados" (preocupados) o tempo todo...senão não se vive.... A violência está em todos os lugares...quem comentou aqui esqueceu de dizer que, além da violência, a frieza nos corações também é uma caracteristica que viceja aqui nos trópicos....Por tanto minha querida, viva sua escolha e planeje com Christian uma visitinha de férias ao Brasil para matar as saudades!!!
Ah!!!não esqueça de passar aqui em Nikhity!!!!

Bergilde Croce disse...

Georgia,assino em baixo de tudo o que você escreveu.Só sabemos dar valor às pequenas coisas da terra da gente quando estamos assim tão distantes.Mas, tenho também aos poucos aprendido a dar valor a essa calma que páira em torno a mim e quando bate aquela forte nostalgia começo a pensar sobre os contras em viver no Brasil e a balança se equilibra,ao menos provisoriamente...Abraços da Itália,Bergilde

Jota Sena disse...

Olá Georgia!

Lá no Lançando palavras, justifiquei minha falha... Hehehe.

Abraços e até mais!

Albuq disse...

Oi Georgia!

Que texto bacana, acredito que acalentou muita gente com o mesmo sentimento de ter saído do país ou local de origem. Eu não moro no local que nasci, moro em outro lugar, mas, no mesmo país. Confesso que tenho muitas saudades do interior, ohhh e como, do cafezinho 3hs da tarde, do fogão de lenha, de pão assado na brasa, nem dá prá contar, mas, escolhi essa mudança por circunstâncias maiores, por isso entendo sua mudança.
Agora, vou te contar uma coisa, o sol que está fazendo no Brasil está fora do normal, simplesmente parece o apocalipse kkkk. Aqui na Paraíba está dando por volta de 42º e é muito quente mesmo.
E acredito que a gente tem que tentar viver bem onde estamos.
bjs

RoCosta disse...

Geórgia... o Brasil é muito mais do que São Paulo e Rio de janeiro e por incrível que parece há ainda cidades boas para se viver, a minha é uma. Você decidiu viver aí, não quer dizer que não possa mudar de idéia e voltar um dia, quem sabe?
Eu adoraria conhecer outros países, mas enquanto escolha tiver é no Brasil que quero viver... amo o sol!
Beijos, muitos!

p.s.: Eu mandei a senha para meus posts privados a voce?

Flor disse...

Para mim qualidade de vida é estar perto das pessoas que amamos e felizes!!
Eu gosto e nao gosto de viver na Suìça, por mais seja um paìs seguro e blàà, sempre sinto falta das coisas/pessoas que amo!!
Morava 2 ruas da praia vivia, descalça de pé no chao, ia trabalhar de vestido e sandalias!
Sinto falta de td no Brasil! as comidas, as mùsicas o povo alto astral!! enfim td!

Mas é bem relativo isso que vc disse, nao é pq o amigo do teu marido foi morto que todos estrangeiros serao!!
Tenho uma amiga que vive jà hà 10 anos em copacabana com o alemao dela! e sao muito felizes! e ela disse que nao vive na alemanha por nada nesse mundo!
Eu nao fico na suiça pra sempre!

Mylla Galvão disse...

Gê,

Deve ser bem difícil prá vc né?
E eu que já pensei em morar em Portugal! Talvez ainda concretize este sonho...
Meus pais já não estão mais aqui na Terra, e talvez eu vá para estudar... Quem sabe?

bjão

Lunna disse...

Nossa, esse é um assunto com o qual confesso não me preocupar. Me sinto segura aqui ou em Gênova e não coloco essa questão na mesa porque acho que a partir do momento que o assunto vira composição/cenário estamos presos por medos e receios.
Não leio nada sobre esse tema, não tenho amarras que me prendam, não tenho alarmes que me atordam.
Já fui assaltada, não reagi e pensei na hora "vai ser feliz longe de mim". Confesso, não senti raiva e nem fiquei pensando no que levaram.
O seguro me deu uma bike nova ainda melhor que a outra.
Eu sei que há preocupações que existem, mas não as quero pra mim.
Bacio

Sonia H disse...

Georgia,
Da mesma forma, eu te aplaudo por viver na Alemanha há tantos anos. No fundo, você já é um pouquinho alemã e é bom que seja assim, sabe. Brasileira você será sempre. Mas escolheu a Alemanha para viver, então, o importante é ser feliz aí.
Os dois lados não são fáceis. Todos estes questionamentos eu tive e sempre tenho, mas no início era pior, eu me cobrava demais.... 'e se acontecer alguma coisa??'
Mas sinceramente, o Brasil fez um bem tão grande ao meu marido, ele é tão feliz aqui, que hoje eu já não penso da mesma forma.
É interessante - eu fiquei mais 'holandesa' em muitos aspectos e ele 'mais brasileiro'. E é desta forma que nós nos amamos. (risos)
Há sempre pros e contras em tudo nessa vida. O importante é sabermos sempre buscarmos o equilíbrio.
Amo visitar a Holanda. E se eu fosse rica, adoraria viver lá na primavera e no verão (fácil, né) - curtiria um pouco da neve, mas depois voltava correndo (ou melhor, voando.) para terrinha nas outras estações.
Um grande beijo,

Rubinho Osório disse...

O Brasil não tem só grandes cidades inseguras. Há muitas cidades com índices de criminalidade iguais aos da Europa. Quem quiser fugir dos crimes da cidade grande, pode.