Você faz toda a diferenca!

sexta-feira, 26 de março de 2010

Passeios com criancas diabéticas

O Daniel acabou de chegar do passeio com sua classe, ele foi passar 5 dias nas montanhas aqui perto da gente. Fizemos juntos a mala que ele levaria para que ele soubesse o que estava levando e onde estaria cada coisa. Recomendacoes de mae? Claro!Agora vamos fazer a mochila que você carregará na maioria do tempo, pois vocês farao muitos passeios na floresta. O que você quer levar de biscoito? Uma garrafa d'água e você cuida de sempre mantê-la cheia antes de sair.
Imagina cabeca de menino de 10 anos, mas mae é assim mesmo.

- Daniel quer legar Gummibärchen?
- Nao sei mamae, essas balinhas de borracha colorida nao gosto muito.
- Mas ai você divide com seus amigos. Leva ou nao leva?
- Levo sim.

Foram de trem e viajaram quase duas horas até chegar no local.
À tarde quando chegaram, Daniel percebeu que o amiguinho dele o Patrick nao estava lá muito bem. Pálido, suando um pouco, Patrick tirou o aparelho para medir o acucar no sangue. Sim, ele é diabético desde os 7 anos e viu que ela estava 33 graus. (nao sei como dizer isso em português.)
Daniel imediatamente se lembrou das balinhas de borracha, as pegou e deu ao amigo e disse prá ele ficar no alojamento que ele ia buscar ajuda dos professores.
Conseguiu localizar o professor de matemática e foi logo contando o que aconteceu e o professor telefonou imediatamente para uma ambulância que chegou em poucos minutos. Patrick tomou sua medicacao mas mesmo assim ele foi levado ao hospital para ficar em observacao e à noitinha voltou para o grupo da escola. A primeira coisa que ele fez foi agradecer ao Daniel.

- Daniel você me salvou a vida me dando as Gummibärchen, as balinhas de borracha.
À noite Patrick agradecido comprou um pacote de batatas fritas para o Daniel. Os dois amigos sentaram no muro da varanda e comeram juntos. Eles já se conhecem há 5 anos, desde que foram para a escola.
Fiquei emocionada agora quando ele chegou me contando o que tinha acontecido e mais orgulhosa ainda pela reacao que ele teve. Tem gente grande que nao consegue agir diante de um imprevisto que lhe acontece.

Por que estou dividindo isso com vocês? Porque vale a pena falar com as criancas cada coisa que pode acontecer e dar a ela conteúdo para pensar. Nós na mesa do jantar quando alguma coisa acontece nós conversamos das possibilidades de agir, de ajudar. De tanto falarmos ele tem uma visao das coisas diferente, mas se nao falarmos, elas terao mais dificuldades de perceber alguma coisa...

Bom fim de semana prá vocês.

Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor.

27 comentários:

Chica disse...

Que beleza isso e que boim.temos que falar e alertar sempre e eles pegam tudo muiiiiiiiito bem,melhor do que imaginamos!beijos aos dois e um pro Patrick!chica

Mylla Galvão disse...

O que é Gummibärchen?

Alguma espécie de doce ou coisa assim? Tentei entender o q era pelo texto, mas não consegui!

Boa a visão dele em ajudar o coleguinha heim?
Vc é sortuda com seus filhos...
Uma é designer de moda e gosta de inventar jogos divertidos e o outro gosta de ajudar os outros...

Meu filho gosta mesmo é de Pc... rsrsrs

Postei mais cedo o Domingo Saúde (DS) pq estarei ausente no fim de semana!!!

Bom fds!!!

bjão

Pedrita disse...

aqui há muito atraso em relação a diabetes, tem gente q tenta impedir um diabético de chupar uma bala pq está com o inverso do seu problema. ou próprios diabéticos passando mal e se recusando a chupar uma bala. vários nem sabem desse aparelhinho. querem proibir tudo e não equilibrar tudo. bebem bebida alcoolica, mas falam q não podem comer uma fruta. enfim, muita desinformação. beijos, pedrita

Georgia disse...

Pois é Pedrita, o Patrick leva sempre esse aparelhinho para medir o acucar, no caso dele estava muito baixo e ai ele pode e deve comer acucar. Ele carrega tb a injecao para esses casos e se auto aplica na barriga, mas ela estava tao baixa que ele nao tinha forcas, foi o que o Daniel me contou.

Por isso Pedrita, que informamos as criancas, fica mais fácil deles verem o mundo. Eu nao escondo deles as coisas e principalmente porque o Patrick quando adiquiriu a diabétes explicou na classe a sua doenca mas que podia ser controlada.

Um beijao

Barbie Girl disse...

É tão bom você dividir histórias assim conosco.

beijos e bom final de semana!

Albuq disse...

Georgia, primeiro fiquei emocionada com a verdadeira amizade e cuidado, pelo qual Daniel cuidou do amigo. Ter uma amigo assim é ter ouro.

E segundo, sempre conte-nos histórias assim, porque assim percebemos o quanto vale a pena acreditar nas pessoas.

E terceiro, sempre conte-nos histórias assim, porque criança é um ser fantástico!

LINDO TEXTO como sempre!
bjs

Beta disse...

lindo isso!
legal a presença de espírito de seu filho.

bj

Bia Mendonça disse...

O que eu acho incrivel também foi ele perceber que o amigo não estava legal, pois muitas vezes a criança está tão 'perdida' na diversão que não nota mais nada além disso.
Parabéns para o Daniel e vc tme muito do ue se orgulhar de filhos assim! :)

bjos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que história linda. Deus salvou o menino através de vc e seu filho. Vc ofereceu as balinhas, seu filho percebeu o que acontecia.

Emocionante. E com certeza esta experiência dará ao seu filho mais amor a vida e ao próximo

Parabéns pelo seu menino!

João Menéres disse...

Uma vez mais, GEORGIA, relatas-nos UMA LIÇÃO DE VIDA!
Há aqui vários elementos de igual importância:
1- O Patrick ter contado para os colegas a doença que tinha (logo que entrou na escola).
2 - A educação que diariamente ministras aos teus filhos.
3 - A atenção que o DANIEL (no caso) presta às tuas palavras.

A SAIA JUSTA é um blogue que NINGUÉM deve deixar de ler todos os dias!

Um beijo com os parabéns para todos os intervenientes desta história real.

RoCosta disse...

Parabéns para o Daniel e que linda história de amizade.
Beijão!

Aline Lima disse...

Muito boa a atitude do Patrick (dizer que tem a doença) e do Daniel que agiu rápido e salvou o amigo. Parabéns para eles e suas respectivas mães pela ótima educação dada ao seus filhos. Agora um pouco de humor: se ele não gosta muito, passa pra mim que eu adoooooro, chega a acabar o estoque no mercado perto de casa, rs! Mas eu chamo de HARIBO e ouço o povo chamar de Gummy Bears... cada lugar tem um nome né? Abraço

Trudy disse...

Gut gemacht Daniel! Kompliment.

Auch euch wünsche ich ein schönes Wochenende!

Celso Ramos disse...

Olá Georgia!!!
Muito legal isso.....aqui lutamos com o egocentrismo Pedro...batalha ingrata essa, pois sabemos como funciona nossa natureza!! O exercício de compartilhar é fundamental para o desenvolvmento de um bom relacionamento!!!!

Tucha disse...

Trabalhei em um hospital pediátrico e sei o qto é dificil ser diabético na infancia, exige disciplina, cuidados. Muito bom qdo temos amigos que podem ajudar. Dá um doce beijo no Daniel.

Wania disse...

georgia

Os pais, infelizmente, tem a mania de quererem "poupar" as crianças do conhecimento das doenças, inclusive segregando os amigos que sofrem com as doenças crônicas, o que é uma lástima, sem dúvida!

A informação, desde pequeno, prevalece justamente nestas horas, quando um pequeno (grande) gesto faz toda a diferença!
Educar é isso, parabéns!



Dá por mim, um abraço apertado no Daniel pelo seu gesto.
Bjs

Jens disse...

Oi Georgia.
PARABÉNS (assim, em caixa alta) por proporcionar ao teu filho a oportunidade de vivenciar este tipo de aventura. Trata-se de uma experiência que ele carregará prazerosamente na memória por toda a vida. Coisa de garotos (até hoje lembro quando o meu melhor amigo de infância salvou minha vida, ao impedir que eu caísse quando escalávamos uma pedreira).
Bonito, o jeito com que o Daniel começa a caminhar pela vida. Para ti e o teu marido, o meu aplauso entusiasmado. Clap! Clap! Clap!

Beijo e bom findi.

Jens disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Tapadas disse...

Filhote de parabéns! E a mãe também, pois o educou bem e esclareceu.
bj

Cris Caetano disse...

Incrível... os adultos normalmente sabem que quando um diabético tem sua taxa de insulina muito baixa, como foi o caso do Patrick, deve-se dar algo doce para o diabético comer (mas só nesse caso), mas uma criança ter essa alguma reação diante do imprevisto? Impressionante...

Mas é por ai mesmo, Ge, porque o Daniel está acostumado a conversar sobre vários assuntos com vocês, ele não ficou apático perante a situação.

Beijos e bom fim de semana.

Anunciação disse...

Já disse aqui que seus filhos recebem uma excelente educação,exemplar mesmo;mas se vc souber o tanto de diabético adulto que não consegue seguir as orientações mais simples;as vezes ainda teimam diante das dicas pra evitar a hipoglicemia q muito baixa,pode levar ao coma e morte.A medida aqui no brasil é mg/dl e o limite mais baixo está em torno de 70mg/dl.

Allan Robert P. J. disse...

É isso! Se nos preocuparmos em educar bem os nossos filhos, eles estarão prontos para serem o que esperamos deles: cidadãos independentes e responsáveis.

Dê uma beijoca dupla no Daniel! :)

Beth/Lilás disse...

Geórgia, parabéns pela forma que você e marido estão educando seus filhos! Em momentos como este é que vemos o resultado do nosso trabalho dentro de casa.
E o Daniel, bem, o Daniel além deste menininho de bom coração e caráter, está simplesmente lindo. Parece um menino de cinema, que coisa mais linda!
beijinhos cariocas

Bergilde Croce disse...

Aprendo sempre com esses seus relatos de família porque tenho 2 ferinhas pequenas,e fico imaginando no futuro não muito distante uma experiência assim...Informar,não esconder nada deles, tendo a misura justa de como dizer as coisas é difícil,mas somos nós pais quem melhor fazemos,ao menos deveríamos fazer-gosto do modo como você e seu filhote falam abertamente.Abraços,Bergilde

Eliane Pechim disse...

Resumindo o que os outros leitores disseram (e muito bem), todos os envolvidos agiram conforme deveriam, principalmente voce educando seus filhos a como agir em situações como aquela que o Daniel enfrentou. Crianças sao mais espertas e vivas do que nos adultos pensamos e como alguem disse aqui, é so informar, explicar, educar, ensinar que eles pegam direitinho. Muito lindo isso. Abraço

Jane disse...

Que linda historia!
Vc está certissima em aproveitar os momentos para conversar, instruir seus filhos.
Parabéns ao Daniel por saber como agir e pela amizade com Patrick.

Ana Filipa Oliveira disse...

Eu amei esta história. Até comentei com o Kevin acerca da capacidade do Daniel. Sim, é uma capacidade adquirida, pois se assim nao fosse na hora ele nao agiria deste modo. Parabéns ao Daniel e aos pais pelo trabalho desenvolvido.