Você faz toda a diferenca!

segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Morrer ao longo da vida?


Semana passada nao consegui escrever, bem que queria mas eu estava melancólica demais. Nao chegava a ser depressao, era melancolia mesmo. Mas eu me perguntava, por que a melancolia se eu estava feliz. Sim, feliz por saber que logo logo estarei no Brasil. Sinceramente nao sabia responder. Era como se dentro de mim tivesse vários "eus". Alguém já se sentiu assim? Pude perceber que uns "eus" já nao existiam mais, outros ainda estao sufocados, gritando para sair e eu ainda estou analisando se os deixo sair ou nao. É isso entao o que a vida faz: A vida vai matando muito dos meus "eus"? Fiquei me perguntando isso na semana que passou. Quando eu tinha 20, 25, 30, 35, nunca percebi essa coisa. Mas agora que olho o caminho que deixei para construir um novo eu, percebo que tive que matar muitos deles para subir ou para descer os degraus dessa escada chamada "vida". (Eu espero estar me fazendo entender com essa história de "eus".) Minha vida inclui muitas saudades, muitas lágrimas, tempos difíceis e trabalhosos, nao me conheco sem luta. Para cada coisa conquistada, eu tive que ir buscar, muitas das vezes arrancar do solo. E com elas muitas das vezes muitos "eus" que morreram. Infelizmente a vida enterra muitos dos seus "eus" que você mais gosta.
Os tempos que chamo de mais fáceis sao os que me trazem à lembranca o tempo de crianca, o tempo da bagunca na escola, o tempo da faculdade, onde a maior exigência ficava por conta dos professores para a entrega dos trabalhos. Nessa época, era a composicao dos "eus", a realizacao dos sonhos. Eu nao sabia que teria que pagar um preco tao alto por eles. Fiquei pensando na minha confiança na salvação através de Jesus para um novo nascimento, para um novo acreditar, para um novo recomecar, ou para uma nova reconstrucao do "eu", que estava ferido ou que morreu. É comecar a vida da estaca zero novamente. Onde preciso perseverar em cada passo, mesmo achando que nao vou suportar a hora da despedida, pois esta DÓI demais.
É mais um "eu" que morre ou que fica junto às lágrimas derramadas.
Eu sei que posso reclamar muitas vezes com Deus sobre muitas coisas. Outros personagens na Bíblia também reclamaram com Ele sobre suas dores, sobre seus "eus" que morriam, mas assim como eles nao O deixaram, eu também nao O deixarei. Eu sei que esta noite vai passar.
Se você nao está entendendo essa dor que me vai ao peito, imagine como eu estava na semana passada com a minha melancolia. Acho que já estou sofrendo antecipadamente a dor da despedida, a morte de mais um "eu". E só quem já passou a dor da despedida pode entender exatamente o meu medo de sentir mais uma vez essa dor e quantas vezes ainda terei que passar por ela.
Acho que preciso mais uma vez ajustar a minha saia para entrar em sintonia. Desculpa ai, ter alugado os seus olhos para este desabafo.

Um grande abraco meu prá você.

Atenção: É expressamente proibido a cópia deste texto e imagens sem a autorização prévia do autor

3 comentários:

Jady disse...

1. Engraçado... Meus melhores textos saem quando estou melancólica...

2. Sim, já me senti assim. Na verdade, acho que esse é meu normal: vários eus ao mesmo tempo. Conflitantes, às vezes.

3. O namorado tá me puxando pra ir embora e eu só li o primeiro parágrafo... volto pra ler o resto e comentar depois (namorados... hunf)

xêro e até mais

Vera disse...

Qdo depositamos nossa vida nas mãos do nosso maravilhoso Deus, sabemos que nenhum "eu" morre sem que tenha chegado sua hora, tbém sabemos que cada "eu" que vivemos deixa algo em nós que fica p/sempre; que bom saber que nossa vida é feita de escolhas, isso a torna ainda mais encantadora .. cada escolha nos conduz à um caminho/história diferente. Aí a pergunta: e se tivesse escolhido outro e não este ? Como seria minha história ? Não há como saber, mas se temos a certeza de sermos 'guiados' por Ele nas nossas escolhas, então com o que se preocupar ?

Anônimo disse...

Oi Amiga da Saia Justa!!!!!!!!

Suas estorias, acho que ainda pode se disser assim em portugues, sao incriveis.

A de ontem "Quantas vezes se morre ao longo da vida?" me fez pensar em outro sentido de morte. Vc tem razao muitos EUS podem morrer ao longo da vida... Acredito de alguma forma explicavel/inexplicavel que, no entanto eles fazem parte dos novos EUS. Preciso acreditar assim pelo menos para as coisas belas e boas da vida. Amo d+ a vida.

Espero que estes novos EUS sejam bonitos e felizes e que sempre te tragam coisas boas. Voce eh MUITO especial e hoje te deixo um forte abraco, com muito carinho, tua Amiga Gaucha! :-)